Polícia apresenta acusados de matar comerciante de Lagarto

0

João Major e Adriano Santos
O delegado regional de Lagarto, Hildemar Rios e o Coordenador Operacional do Interior, Jonathan Evangelista apresentaram durante coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira, 6 na sede da Secretaria de Segurança Pública (SSP), os acusados pelo assassinato do comerciante José Roberto Fraga [Zé de Pedro de Xiu]. João José da Silva, conhecido como João Major, 51 e Adriano Santos da Hora, 21, afirmaram ter agido “em legítima defesa”, após o comerciante ter atirado em um menor que já foi encaminhado à delegacia especializada.

O crime foi registrado no último dia 28 de junho no povoado Laranjeiras, zona rural de Lagarto, quando o comerciante de farinha estava em sua residência por volta das 19h, no instante em que soltava um animal num pasto e foi surpreendido por três homens encapuzados. Os

Jonathan Evangelista e Hildemar Rios destacam operação
homens estavam de posse de duas armas de fogo, quando anunciaram o roubo e passaram a exigir dinheiro da vítima.

Após ser rendido, José Roberto foi encaminhado para o interior da casa e os dois assaltantes renderam a esposa Maria Augusta da Cruz Fraga e em seguida o filho do casal [16anos]. Iniciaram uma sessão de tortura, ameaçando cortar a orelha do filho do comerciante e matar todos caso não entregasse o dinheiro. Como a vítima tinha apenas R$ 440, foi assassinado com três disparos na frente da esposa e do filho.

Os três fugiram em seguida por dentro do mato e segundo o delegado Hildemar Rios, a informação é de que João Major ainda é parente da vítima. “Ele conhecia a vida do

Rejane Andrade teria acobertado os criminosos
comerciante, sabia que guardava dinheiro em casa e ainda era parente distante da vítima, que o teria reconhecido, fato que pode ter motivado a sua execução”, ressalta.

Prisões

Após diligências, chegaram a informação de que os autores do crime estavam morando na casa da traficante Rejane de Andrade Rodrigues, 29, que está presa. Os policiais foram até o local e encontraram o pedreiro Adriano Santos e o adolescente de 16 anos. “Foram apreendidos objetos roubados, roupas e um capuz utilizado na prática do crime, além de dez pedras de crack prontas para serem comercializadas. Rejane foi quem socorreu o menor baleado na casa do comerciante, levando-o ao hospital de Itabaiana, que o encaminhou para o Huse”, destaca o delegado.

A prisão de João Major foi feita por volta do meio-dia desta segunda-feira, 5 por policiais de Lagarto. “Ele foi capturado nas imediações Rodoviária Velha, Centro de Aracaju, quando se preparava para fugir”, enfatiza lembrando que o resultado positivo das investigações foi possível em virtude do empenho dos policiais que integram a Delegacia de Lagarto, a atuação do Ministério Público e do Judiciário estaduais. ‘Sobretudo do apoio recebido da população de Lagarto, que fez várias denúncias’.

Confissões

Durante a coletiva, João Major confessou o assalto. “A gente foi roubar, mas não ia matar ninguém. Eu fiquei do lado de fora e Adriano e o menor entraram. Foi quando eu ouvi os papoucos e entrei, quando vi, o menino estava ferido”, conta. Já Adriano disse apenas que “ele reagiu atirando no menino e nós atiramos. Foi uma comédia, mas não sei quantos tiros”.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais