Polícia Civil prende ex-presidiário acusado de roubos no Santa Maria

0
Luciano Balbino de Araújo é ex-presidiário (Foto: Cedida pela SSP)

A Polícia Civil, por meio da 9ª Delegacia Metropolitana (9ª DM), prendeu na quinta-feira, 27, Luciano Balbino de Araújo, 29 anos, acusado de cometer roubos a estabelecimentos comerciais no bairro Santa Maria, na capital sergipana. Segundo informações do delegado Gilberto Guimarães, responsável pelas investigações, Luciano é um ex-presidiário que saiu do sistema prisional no mês de maio e após isso começou a cometer alguns crimes no bairro Santa Maria.

“Os roubos cometidos por ele não vinham sendo informados à Polícia e por isso o processo investigativo demorou a ser iniciado. Nós tivemos uma farmácia que foi seis vezes assaltada e somente no quinto evento é que nós fomos procurados pelos proprietários que vieram registrar o fato e a partir daí se iniciou a investigação. Nós coletamos informações junto às vítimas e pegamos no circuito interno de TV as imagens para fazer um confronto com a base de dados. Como ele já era um velho conhecido da 9ª DM e os irmãos dele já haviam sido presos pela delegacia também nós identificamos ele”, destacou o delegado Gilberto Guimarães.

Além dos roubos sucessivos à farmácia, o acusado também efetuou o mesmo delito a uma empresa de venda de plano funerário. Após a devida identificação, a prisão de Luciano ocorreu na quinta-feira, 27. “Ele tinha como procedimento chegar ao local geralmente de bicicleta na porta do estabelecimento, abordava a vítima e saía rapidamente. O dinheiro adquirido nesses assaltos eram investidos em droga”, completou o delegado.

Importância de registrar o crime

O delegado Gilberto Guimarães destaca a importância do cidadão buscar a delegacia da área para noticiar o crime efetuando boletim de ocorrência. “Chamamos a atenção para que as pessoas registrem a ocorrência na delegacia. É importante para que possamos com maior brevidade possível iniciar a investigação necessária e prender os envolvidos. Além disso, destacamos que há produtos resultado de roubos que estão retidos na delegacia e que o cidadão não vem resgatar porque não tem conhecimento que estão com a gente. É preciso que a gente saiba quem são as vítimas, até para devolvermos os bens aos respectivos proprietários”, finalizou.

Fonte: ascom SSP

Comentários