Polícia identifica autor de tiro que atingiu professor

0

Depoimento foi prestado na DEPCA (Fotos: Portal Infonet)

A polícia já identificou o adolescente acusado de realizar o disparo dentro de uma sala de aula na Escola Estadual Augusto Ferraz e um outro jovem que seria a possível vítima, mas que acabou atingindo o professor de educação física Edilson Oliveira Silva. Os dois jovens [que não terão os nomes divulgados por serem menores de idade] têm 16 anos e residem no Manoel Preto no bairro Industrial.

A diretora do Colégio Augusto Ferraz, Kátia Virgínia Santos foi ouvida nesta quarta-feira, 3, pelo delegado Marco Passos da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), responsável pelas investigações. A diretora foi prestar informações sobre o suposto autor dos disparos que atingiu o professor. Além da diretora da rede de ensino, um garoto que estava na sala de aula e presenciou o ocorrido também foi ouvido pelo delegado.

Ao Portal Infonet, a diretora Kátia Santos reafirma a informação já prestada à imprensa sobre a conduta dos adolescentes. “Eu só vim confirmar a informação que eu já tinha dado a imprensa, que os alunos não têm histórico de violência na escola. Um era aluno desde o ano passado, o outro é novato, mas por ser novato ate então não tinha nenhum problema. É uma escola tranquila e o aluno ia para a escola, assistia aula e no final da noite ia para casa”, confirma.

Kátia Santos: "Os alunos não tem histórico de violência na escola"

Quanto ao fato do adolescente ter entrado armado na instituição de ensino, a diretora garante que a responsabilidade é da delegacia investigar. “Aí é que entra o papel da delegacia. A delegacia que tem que apurar porque é que esse adolescente foi para a escola armado. A gente não tem permissão legal para revistar nenhum aluno. Então porque é que ele estava armado e porque ele chegou armado quem tem que averiguar isso é a delegacia”, afirma.

De acordo com o delegado do DPCA, Marco Passos, resta saber a motivação do desentendimento que acabou no disparo de arma de fogo. O delegado também não descarta a possibilidade da motivação ter sido ocasionada por briga de torcida, problema intraescolar ou envolvimento com drogas. “Com a informação prestada o próximo passo é saber o que levou o aluno a  ir para a escola armado. O adolescente que fez o disparo já tem muito tempo na escola, mas o outro não, no entanto, a escola não tem registro de violência e os dois não tem passagem pela polícia”, esclarece o delegado.

Os dois adolescentes serão intimados ainda esta quarta-feira, 3, a comparecerem com os pais na delegacia para prestar depoimentos.

Relembre o caso

O delegado Marco Passos diz que resta saber a motivação do desentendimento entre os jovens

Um professor de educação física foi baleado na noite do dia 1º de abril dentro da sala de aula do Colégio Estadual Augusto Ferraz, localizada no bairro Industrial. A informação repassada pela Secretaria de Estado da Educação (Seed) é que Edilson Oliveira Silva preparava-se para realizar a chamada, quando dois alunos, que estavam em discussão supostamente por torcidas organizadas, entraram na sala. Um deles estava armado e tentou atirar no outro, mas o disparo acidentalmente atingiu o professor.

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais