Polícia prende acusado de matar bebê

0
Maurinho nega envolvimento no assassinato (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

A polícia civil prendeu um dos dois suspeitos pelo assassinato de Vagner da Silva Dantas, um bebê de apenas oito meses de idade morto com um tiro na boca no dia 16 de março no Conjunto Marcos Freire II, no município de Nossa Senhora do Socorro. O acusado, identificado como Lucimário dos Santos, conhecido como Maurinho, nega envolvimento no crime e diz que está sendo apontado injustamente como autor deste assassinato, que ele próprio considera como “perversidade”.

Maurinho foi preso na sexta-feira da semana passada, 8, no município de Propriá, atendendo mandado judicial expedido pela comarca de Nossa Senhora do Socorro, segundo informou o delegado de polícia Hilton Duarte, regional de Propriá. Maurinho diz que no dia do crime estava com vizinhos quando um deles alertou que havia barulho de tiros. “Quando eu entrei em casa para baixar a televisão, eles [os supostos autores do crime] passaram com o rosto descoberto e todo mundo viu. Eles sabem quem fez esta perversidade. Eu tenho prova que eu não participei deste crime”, disse, em conversa com a equipe de reportagem do Portal Infonet.

Delegado Hilton Duarte: dúvida apenas sobre a autoria do disparo

Mas a polícia não tem dúvida do envolvimento de Maurinho neste assassinato. De acordo com as investigações da polícia, Maurinho teria agido com um comparsa, identificado como Ítalo, que está foragido. As investigações do crime foram realizadas pela equipe do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) da Secretaria de Estado da Segurança Pública, sob coordenação da delegada Juliana Alcoforado.

Segundo o delegado Hilton Duarte, o alvo do assassinato seria um amigo do pai da criança. Quando os criminosos chegaram à residência, o pai da criança e o amigo dele, conhecido como Neném [que seria o desafeto de Maurinho], correram e, nesta fuga, conforme o delegado, a criança caiu do braço do pai, que não teria retornado para pegá-la. A criança teria ficado jogada na calçada chorando. Um dos dois acusados se aproximou e, por vingança, teria colocado a arma na boca do bebê e atirado. A dúvida, segundo o delegado, está relacionada ao autor do disparo que matou o bebê.

Além deste crime, Maurinho é apontado por envolvimento em outros três homicídios, segundo a polícia. O acusado também figura como principal suspeito pelo assassinato de um dos irmãos de Neném, o que seria a origem da suposta “rixa” entre eles. Maurinho também nega envolvimento no assassinato do irmão de Neném e assume envolvimento em um outro homicídio, dizendo que já pagou pena por tal crime. “Em 2011, eu tava fugido da justiça e ele, Neném, passava todo dia na porta da minha casa e eu nunca fiz nada”, resumiu, defendendo-se da acusação pelo assassinato do bebê.

Por Cássia Santana

Comentários