Polícia prende, em Socorro, acusados de homicídios em Carmópolis

0
O grupo criminoso desarticulado pela polícia atuava também com o tráfico de drogas (Foto: SSP/SE)

A Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) foi acionada pela Delegacia de Carmópolis e cumpriu os mandados de prisão de Lucas da Silva Santos, conhecido como “Sukita”, e de Thiago de Jesus Santos Reis. Eles são investigados por diversos crimes de homicídio. As prisões ocorreram nesta terça-feira (11), numa casa localizada no loteamento Piabeta, em Nossa Senhora do Socorro.

De acordo com o delegado Samuel Oliveira, as investigações apontaram que Lucas integrava uma associação criminosa armada que praticava o tráfico de drogas em Carmópolis. “O grupo amedrontava toda a comunidade postando conteúdo nas redes sociais, nos quais ostentava armas de fogo. A associação criminosa tinha um grupo rival na cidade, o que resultou em vários crimes”, detalhou.

Conforme o delegado, o primeiro homicídio foi registrado em 5 de janeiro de 2020. “No crime, Lucas assassinou a vítima José Wellington de Aragão Júnior, conhecido como ‘Juninho de Sandrão’. O crime foi motivado pelo tráfico de drogas, já que a vítima vendia entorpecentes com Lucas e acabou tornando-se usuário e consumindo o entorpecente, o que levou a uma discussão entre ambos que acabou na morte dele”, citou.

Em razão da briga pelo território do tráfico na cidade, no dia 17 de julho de 2020, Lucas foi alvo de uma tentativa de homicídio praticada pelo grupo rival. “O fato criou mais animosidade entre os grupos criminosos pois, na mesma noite, o irmão de Lucas, conhecido como Tomaz, ainda foragido, e o parceiro, Thiago de Jesus Santos Reis, foram à casa de um dos rivais e fizeram vários disparos contra ele”, complementou o delegado.

Dois dias depois, em 17 de julho, quatro suspeitos, sendo três já identificados e presos, em mais um ato de vingança por Lucas, foram à casa do rival e tentaram matá-lo. “O fato não ocorreu, pois o irmão dele, também integrante do grupo rival, estava armado e ocorreu uma troca de tiros na cidade”, relatou o delegado Samuel Oliveira.

Ainda de acordo com as investigações, inocentes também teriam sido alvos do grupo criminoso que atuava na cidade de Carmópolis. “Um deles, identificado como Cleissinho, foi alvejados por tiros só porque foi olhar se Lucas, na ocasião da tentativa de homicídio que sofreu, tinha morrido no hospital de Carmópolis, sendo que, nessa tentativa, a tia de Cleissinho também acabou sendo alvejada, pois estava junto com seu sobrinho no local”, revelou.

Os crimes continuaram e, no dia 3 de dezembro de 2020, Lucas e seu grupo voltaram a agir, resultando na morte de Carlos Antônio dos Santos, conhecido como “Fubá”. “O motivo também foi relacionado ao tráfico de drogas, pois a vítima devia valores da venda do entorpecente para o grupo, já que teria usado a droga que era para venda. Carlos Antônio também era uma das principais testemunhas do crime praticado por Lucas contra José Wellington”, mencionou Samuel Oliveira.

O delegado reiterou que as ações de combate ao tráfico de drogas irão resultar na melhoria da segurança pública da região. “Com a prisão de Lucas e de Thiago, bem como dos demais integrantes tanto da organização criminosa, quanto do grupo rival, a comunidade de Carmópolis se sentirá mais segura, pois todos temem tais indivíduos”, pontuou.

Fonte: SSP/SE

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais