Policiais federais cruzam os braços no dia 14

0

A Polícia Federal em Sergipe irá paralisar nesta quarta, 14, com o intuito de se fazer ouvir pelo governo. O movimento, que acontecerá simultaneamente em todo o país, deverá levantar questões como a reestruturação salarial dos servidores, o projeto de lei que acaba com a aposentadoria especial e a Lei Orgânica, que não atende às expectativas da classe policial. O movimento acontecerá na sede da instituição localizada na avenida Augusto Franco e não descarta a possibilidade de greve.

Para o presidente do Sindicato dos Policiais Federais em Sergipe (Sinpef/SE), Antônio Robson Sousa, o objetivo do movimento é mostrar ao governo que as reivindicações dos policiais são justas. “Como nós somos ordeiros, obedientes e fazemos o nosso trabalho da melhor forma possível, o governo dá pouca importância e nos empurra para uma paralisação, que é a única forma que temos de nos fazer respeitar e sermos ouvidos”, argumenta Robson.

O presidente enfatiza que alguns pontos são exigências históricas da classe que não têm sido respeitadas. Entre elas está a questão salarial, em que a PF acaba sendo desprestigiada em comparação a outras categorias, como a Agência Brasileira de Inteligência – Abin –, que recebeu aumento de aproximadamente 570%, enquanto que os policiais receberam apenas um pouco mais de 80% durante o atual governo.  Outra reivindicação diz respeito ao projeto de lei enviado ao Congresso que acaba com a aposentadoria especial da classe.

A Lei Orgânica também continua sendo motivo de descontentamento para os servidores da Polícia Federal, beneficiando apenas alguns poucos em detrimento da maior parte do DPF, sem compromisso com a segurança pública.

 

Comentários