Policiais militares irão a júri popular

0

Os policiais militares Cleves Manfort e Marcos Aurélio do Nascimento serão levados a júri popular pelo assassinato de Derivaldo José de Jesus Santos em 29 de dezembro de 2006. A decisão foi dos desembargadores do Tribunal de Justiça (TJ) que acataram o pedido da família em submeter os acusados à opinião pública.

Os pais da vítima, Dario e Genilza Sabtos, estavam presentes na Câmara Criminal do TJ na manhã de terça, 13, e comemoraram a decisão. “Foram dois anos de luta pra que esse momento chegasse. Agora a gente sai daqui com meia sensação de justiça. A outra metade vai vir no dia que eles forem condenados”, conta a mãe.

Os familiares aguardarão a definição da data do julgamento em casa, acompanhando o andamento do processo pela internet. Cleves, que é acusado de outros dois homicidios, está preso no Quartel da Polícia Militar, enquanto Marcos Aurélio está solto e atuando como PM. O pai de Derivaldo, Dario, fala que após o júri a família pedirá, na Justiça, uma indenização à Polícia Militar.

O caso

O militar Cleves Manfort atirou nas costas de Derivaldo no final de 2006 por motivo banal. Ele fazia bico como segurança de uma padaria e pediu que a vítima, habituada a frequentar o estabelecimento com vários amigos, afastasse os amigos do local. Derivaldo falou que não podia obrigar ninguém a fazer isso, o que levou Manfort a matá-lo um dia depois.

O segundo PM, Marcos Aurélio, pilotava a moto na qual estava Cleves no momento do crime, na ladeira do bairro Santo Antônio, mas declarou não ter participado ativamente do homicidio.

Por Glauco Vinícius e Carla Sousa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais