Ponte Aracaju-Barra divide opiniões

0

O acontecimento mais falado nos últimos dias foi a inauguração da ponte Aracaju-Barra dos Coqueiros. Fosse para falar mal ou bem, contrário ou favorável, criar mitos sobre sua estrutura ou até mesmo inventar novas piadas, o novo empreendimento foi, e continua sendo, o assunto do momento.

A ponte já virou cartão postal da cidade. Com um moderno sistema de iluminação, produzirá uma ‘pintura colorida’, que já pode ser conferida.

Sem pretensões partidárias, a reportagem do Portal Infonet foi às ruas saber as expectativas da população. Nesta enquete, percebemos que a ponte é bem-vinda e já faz parte da vida dos sergipanos.

Janaína Correia
“Com o fluxo maior de gente na cidade, a Barra dos Coqueiros deixará de ser uma cidade dormitório e passará a interagir mais ativamente com Aracaju. Sem contar que a Barra em si vai se tornar um centro turístico, já que o investimento nesta área está sendo alto. A cidade só tem a crescer. Vai ser uma melhoria significativa para a população daquela região”, comenta a publicitária Janaina Correia.

“Por um certo lado sim. A ponte será benéfica para o nosso Estado, sendo mais uma opção de passagem para a Barra dos Coqueiros. Dizem que irão cobrar pedágio, mas mesmo que seja mais barato que o preço da balsa não é justo cobrar por uma travessia que foi construída com o dinheiro do povo”, diz o estudante Raul Dantas.

José Antônio Souza
“Para mim, que estou com 63 anos, acho que não vou alcançar muitas mudanças ocasionadas pela ponte. Uma obra como essa vai trazer algum progresso, o que muda muita coisa. Na minha opinião tanto a ponte como o viaduto do DIA são necessários, pois a cidade está crescendo. E não me importa se é certo ou errado ou quem está fazendo”, diz o aposentado José Antônio de Sousa.

 

“A ponte vai facilitar a vida das pessoas que moram naquela região e deve incrementar  negócios e turismo no Estado de Sergipe, que já vem crescendo muito nos últimos anos”, diz a gerente de marketing Michele Monteiro.

Alan Barreto
“Como cidadão não tenho expectativa nenhuma. Primeiramente porque não gosto da Atalaia Nova, nem da Barra dos Coqueiros e também não gosto de Pirambu. Então, não vai mudar em nada a minha vida. Acredito que para quem tem terreno lá, como construtoras, terão seus bens valorizados. Mas, para quem mora no outro lado e não tem o poder aquisitivo bom não terá nada valorizado, pois poderá acabar sufocado. Com esse ‘sufocamento’ eles são forçados a venderem seus terrenos e casas. E na pior das hipóteses, o que acho que vai acontecer, eles podem ter suas terras desapropriadas”, ressalta o jornalista e professor Alan Barreto.


Silvania Lima
“Claro que a ponte irá melhorar a travessia que era bastante complicada, provocando aquelas imensas filas. Esta obra trará mais turismo e emprego para a região. Estive em Pirambu recentemente e todo o acesso está melhorado. Acredito que isso já é um dos resultados da ponte. Não vejo o lado político nenhum e sim o progresso, empresas se instalando na costa, mais trabalhos e novas oportunidades de emprego”, diz a professora Silvania Lima.

“A princípio eu era contra a obra, mas depois pensando bem dá para perceber que ela vai trazer  benefícios tanto para as pessoas de Aracaju, quanto Barra e interiores. Penso que com esta ponte os moradores daquela região terão sua casas valorizadas e o pessoal vai ver com outros olhos. Mas existe também o risco da HDantas ir a falência já que a balsa deverá perder todo o acesso”, diz o estudante universitário Rodrigo Pimentel.

Magna Santana
“Informações de quem construiu e elaborou o projeto da ponte é de que daqui a 50 anos ela ainda será considerada uma das mais modernas. Para o Estado a ponte será um novo cartão postal e trará um maior número de turistas. Ela é bem localizada, próximo ao centro da cidade e ao mercado central. A ponte irá facilitar o desenvolvimento da Barra dos Coqueiros e também trará benefícios para toda a região metropolitana”, comenta a radialista Magna Santana.

“A longo prazo vai ser lento o resultado que iremos ver da ponte, mas a curto prazo é mais um caminho para ligar o Estado ao outro litoral. Vai gerar um desenvolvimento a médio e longo prazo que não existia. E com isso gerando riqueza, emprego, e dinheiro. E tudo isso provocará impacto em Aracaju com certeza, já que esta é a capital. Isso vai provocar uma maior migração econômica aqui, mas isto a médio prazo. Eu também acho que vai valorizar a parte imobiliária daquela região, gerando mais emprego. Mas perto do investimento que foi feito o valor do retorno, que deve acontecer de cinco a dez anos, é irrisório. Esta obra é um bem necessário como outras pontes, mas não vejo como prioridade para o nosso Estado. O valor utilizado nela ajudaria a resolver o problema da seca do estado do Sergipe”, explica o administrador Teco Monteiro.

Roberto Nonato
“A ponte irá melhorar a vida dos moradores das cidades localizadas do outro lado. Eu acho que ficou muito bonita. E é melhor atravessar de carro, bicicleta ou moto do que pelo rio”, diz a auxiliar de cozinha, Maria Augusta Santos

“Essa ponte vai ser benéfica para o Estado, vai aumentar o número de turistas. E será bom principalmente para a gente que quer atravessar para costa. Com ela, irá aumentar o número de clientes e melhorar o trabalho da nossa categoria”, comenta o taxista Roberto Nonato.

Por Raquel Almeida e Ben Hur Correia

Matérias relacionadas:

Inaugurada a Ponte Aracaju-Barra

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais