População protesta contra a falta de água em Propriá

0

Manifestação foi organizada pela Câmara de Vereadores (Foto: Assessoria de Imprensa)
Há cerca de 30 dias sem abastecimento regular de água, a população de Propriá e os vereadores da cidade realizaram nessa quarta-feira, 22, uma grande manifestação, que percorreu as principais ruas. O protesto foi encerrado na frente do escritório regional da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso). Parlamentares, representantes de entidades e o diretor da companhia se reuniram para tentar encontrar uma solução. Os moradores reclamam que não têm água nas torneiras para tomar banho e fazer as atividades domésticas. Segundo relatos, a população de todos os bairros está sendo afetada.

Após a reunião, os representantes decidiram que na próxima quarta-feira, 29, será realizado um novo encontro na sede da Câmara Municipal do município, para que os vereadores apresentem os pontos mais críticos e a companhia possa fazer um diagnóstico da real situação. A partir disso é que vão ser tomadas providências concretas quanto à falta d’água.

A manifestação foi organizada pela Câmara de Vereadores do município com o apoio de várias entidades de classe por conta do grande número de reclamações que os parlamentares vêm recebendo da população no último mês. “Esta é apenas uma manifestação de alerta, caso o problema não seja resolvido, novas manifestações vão ser realizadas. A reunião com o diretor regional da DESO, Januário Santos Costa foi importante, mas queremos soluções concretas para resolver este problema”, disse o presidente da Câmara Municipal de Propriá, José Aelson Santos.

Para justificar a deficiência do abastecimento de água em Propriá, o gerente regional da DESO afirmou que um dos grandes problemas é a falta de energia para bombeamento da água em situações pontuais e o assoreamento do Rio São Francisco em pontos de captação. “Por conta do assoreamento, os pontos de captação ficam bastante sujos, portanto, como primeira medida, vamos intensificar a limpeza desses locais. Na próxima reunião, vamos traçar um plano estratégico para tentar solucionar o problema”, declarou Januário Santos Costa.

A agricultora Catarina Lima dos Santos, moradora do bairro Fernandes, em Propriá, diz que na residência dela não chega água há dois dias ininterruptos. Por esse motivo, não há condições alguma de fazer as atividades domésticas, tomar banho, escovar dentes, entre outras coisas. “Não temos água para nada. Sendo assim, recorremos aos vereadores para que eles tomem uma providência. O resultado disso foi esta manifestação. Queremos providências concretas, porque estamos nesta situação há 30 dias. Quando a água chega às torneiras é durante a madrugada. Isso é um absurdo”, frisou a moradora.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura Municipal

Comentários