Prefeito de Aracaju anuncia aumento para os servidores

0

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, PCdoB, anunciou na manhã de hoje, 24, o tão esperado reajuste dos servidores municipais que estão em greve desde a última segunda-feira. O aumento concedido pelo prefeito foi de 4,63% a 18,23%.

 

Ele explicou que não divulgou o aumento anteriormente, pois estaria estudando o melhor a ser feito. “Antes de conceder esse aumento eu tinha que dar um corte de 30% nos custeios da prefeitura. Eu tinha que esperar. Por isso que no dia 19 eu não anunciei, apesar das pressões justas, legítimas e corretas do sindicato”, ressaltou Edvaldo durante a entrevista coletiva realizada na manhã de hoje.  

 

Edvaldo e os secretários durante a coletiva com a imprensa
De acordo com ele, o reajuste nos salários dos servidores será concedido de forma que quem recebe menos terá um aumento maior (18,23%) e aqueles que recebem mais terá um aumento menor nos seus vencimentos, equivalentes a 4,23%.

 

Segundo Edvaldo, com isso terá que ser feita uma “ginástica financeira” nos cofres da prefeitura para que ele possa honrar o pagamento aos servidores municipais. Para tanto, ele já marcou uma reunião com o seu secretariado que acontece na sexta-feira, 26.

 

Sepuma

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Aracaju (Sepuma) marcou uma assembléia para amanhã, 25, na qual os servidores decidirão se aceitam o reajuste concedido pelo prefeito ou se permanecem paralisados.

Nivaldo Fernades, presidente do Sepuma afirma que o aumento de 4,23% foi “terrível” para os servidores de nível superior. Mas, “para os demais servidores, aproximadamente 4.500, que vinham tendo ganho sempre em cima do salário mínimo e que o prefeito resistia em não mantê-lo, nós conseguimos que esse ganho voltasse. Com isso, eles passam a receber o menor salário equivalente a R$ 366.  

 

   

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais