Presidente da Adepol/SE fala dos projetos para a próxima gestão

0
O delegado Isaque Cangussu adiantou que a defesa das prerrogativas profissionais permanecerá sendo o eixo central da gestão. (Foto: Adepol/SE)

Reeleito na última terça-feira, 01, para presidir a Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Sergipe (Adepol/SE) pelo próximo triênio, o delegado Isaque Cangussu adiantou que a defesa das prerrogativas profissionais permanecerá sendo o eixo central da gestão. Em entrevista, o delegado conta alguns desafios do primeiro mandato e fala das principais pautas a serem trabalhadas no próximo triênio.

Confira entrevista na íntegra abaixo:

Qual o sentimento em ser reeleito pelos seus pares por chapa única e por tão expressiva votação?

Isaque Cangussu – Estou muito feliz com o reconhecimento dos colegas pelo trabalho realizado. A ausência de concorrência, num primeiro momento, já nos dava a sensação de que estávamos no caminho correto. Agora, essa expressiva votação confirma que estamos no rumo certo, que o perfil de sindicalismo que implementamos é o mais eficaz para a nossa classe.

Na sua visão, qual foi o fator determinante para uma eleição sem concorrência?
IC
 – A defesa veemente da carreira, até nas situações mais adversas, fez com que a categoria cultivasse um sentimento coletivo de autoproteção. A coerência das nossas posições passa aos colegas uma clara mensagem da previsibilidade das nossas ações, quando se trata da defesa da carreira. Assim sendo, a tranquilidade dessa sensação recomendou à categoria a continuidade do nosso trabalho.

Quais foram as principais desafios e conquistas na Adepol/SE durante sua gestão?
IC
 – A neutralização de um projeto prejudicial à carreira; a aprovação de uma reforma da previdência que preservou direitos e trouxe avanços, a partir de emendas apresentadas por nós; a antecipação das promoções, em razão de correção de data realizada por nossa provocação; a implementação do novo valor de plantão e o fim do desconto indevido do imposto de renda nesta verba; a deflagração de processo licitatório para contratação de limpeza e manutenção predial para unidades da capital e todas as delegacias do interior do Estado; a contratação de assessorias jurídica e de comunicação de excelência são alguns exemplos de conquistas.

O que você pode citar do lado social de sua gestão?

IC – Desde o início do nosso mandato, o lado social foi uma preocupação muito importante. Já em 2018, organizamos o Forró do Delegado, uma festa que ganhou espaço no calendário junino de Sergipe. Além dos associados, várias lideranças e membros da sociedade civil puderam participar de um evento que outrora era exclusivo para os Delegados. Essa interação é muito importante e aproxima os Delegados da sociedade. Investimos também na nossa festa de fim ano, sempre recebendo o reconhecimento dos colegas pelo cuidado e atenção na formatação do evento. Além das festas, investimos também na realização de eventos acadêmicos, como o seminário do Dia do Delegado e de atualização jurídica. Nas datas relevantes, sempre prestigiamos os colegas, como no Dia das Mães, Dia dos Pais e Dia dos Delegados, por exemplo.

Como os associados podem ajudar a Adepol/SE conseguir novas conquistas no próximo triênio?
IC
– A Adepol já tem uma história de união e luta. Os associados sempre fizeram parte de todas as conquistas alcançadas. A continuidade do espírito coletivo é o que irá determinar os próximos avanços.

Quais são os projetos para o triênio 2021-2023?
IC- A recomposição salarial depois de vários anos sem a correção inflacionária, melhorar ainda mais as condições de trabalho, e o continuado investimento na valorização da imagem do Delegado de Polícia são pautas prioritárias. E por fim, mais não menos importante, a manutenção da vigilância permanente contra ataques à nossa carreira nos planos nacional e local.

Fonte: Adepol/SE

 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais