Preso suspeito de participação em morte de filho de PC

0

Felipe Bruno Santos, nega que tenha arma de fogo (Fotos: Portal Infonet)

Policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam Felipe Bruno Santos, 21 anos, pela participação no crime que vitimou Victor Hugo Costa Santos, filho de uma policial civil de Sergipe.

Felipe Bruno é suspeito de ter cedido à arma para um menor de idade efetuar os disparos contra a vítima que faleceu no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) em abril do ano passado.

De acordo com o delegado Antônio Sérgio, da 3ª Divisão do DHPP, Felipe Bruno foi localizado no conjunto Augusto Franco. “Felipe foi quem efetuou a entrega da arma ao menor. Esse menor foi o que executou o disparo e ele foi morto ano passado. Fizemos a prisão nas proximidades da casa dele e logo fizemos busca e apreensão, mas não foi encontrada a arma usada no crime. Um fato interessante foi que quando os policiais foram trazer o Felipe até aqui, duas moças procuraram a delegacia para fazer um Boletim de Ocorrência e o reconheceram como autor de um assalto que ocorreu no domingo na Atalaia”, afirma.

Delegado Antônio Sérgio presidiu as investigações 

Ainda segundo o delegado, para a polícia, Victor Hugo foi assassinado devido a um desentendimento com o suspeito. “A vítima foi atingida dia 19 de abril, foi levada ao huse, ficou internada e vindo a falecer dia 25 de abril. Foram vários disparos e no início do inquérito, estávamos investigando envolvimento com drogas, mas não ficou comprovado essa motivação e sim uma rixa que tanto a vítima quanto o menor tinham", garante o delegado.

Inocência

Para a polícia e a imprensa, Felipe Bruno Santos, 21 anos, nega que possua arma de fogo. “A arma era do menor e não tenho passagem, mas agora eles estão dizendo que a arma era minha só porque eu o conheço”, se defende.

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais