Prevenção à violência sexual infanto-juvenil em Lagarto

0

Com o objetivo de reforçar a rede de prevenção ao abuso e exploração sexual infanto-juvenil no município de Lagarto, localizado no semi-árido sergipano, o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) promoverá nq próxima sexta-feira, 22, o Fórum de Preparação e Fortalecimento da Rede para o Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual e Crianças e Adolescentes. O evento acontecerá a partir das 8h, no auditório da secretaria de Educação de do município, localizado na Avenida Presidente Kennedy, s/n, Centro.

 

No início da manhã, os operadores de direitos da criança e do adolescente do município serão apresentados ao Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) e conhecerão o Serviço de Aviso Legal por Violência, Exploração contra a Criança e o Adolescente (Salve), através da palestra de abertura com o promotor de Justiça da comarca de Lagarto, Carlos Henrique Siqueira Ribeiro. Já às 10h30, a médica pediatra Edda Machado Texeira Almeida versará sobre a Caracterização dos Tipos de Violência e suas consequências físicas.

 

Durante a tarde, às 13h30, a psicóloga Marlizete Maldonato Vargas apresentará a palestra cujo tema será focado nas consequências psicológicas. Às 14h45, os participantes ainda integrarão uma oficina para a construção de uma agenda de ações voltadas para o fortalecimento da rede, a prevenção e o enfrentamento ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes no âmbito municipal, com a consultora de direitos da criança e do adolescente, Josevanda Mendonça Franco. O evento será encerrado às 17h30, com a apresentação do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem).

 

Sobre o Salve

 

O Salve é uma iniciativa do Ministério Público Estadual (MPE) e passou a ser desenvolvido em maio de 2007 pela Secretaria de Estado da Educação (SEED). O objetivo do projeto é estimular o cumprimento do Art. 245 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), segundo o qual profissionais das áreas de saúde e educação têm obrigação de notificar e encaminhar aos órgãos competentes casos ou suspeitas de violência contra meninos e meninas.

Fonte: Instituto Recriando

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais