PRF de Sergipe pede ajuda a Bancada Federal e a Secretaria Nacional de Segurança

0

Nelson diz que não há previsão de fechamento do posto de Cristinápolis

Postos fechados, falta de estrutura e efetivo insuficiente, essa é a situação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Sergipe. Dos seis postos policiais existentes no Estado, apenas quatro podem continuar em funcionamento. Desde janeiro deste ano a unidade de Carira, localizada a 112 km de Aracaju, está desativada. E o posto de Cristinápolis, a 115 km da capital pode ser fechado a qualquer momento.

A Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) já foi comunicada sobre a situação da falta de estrutura e a bancada Federal com relação a falta de efetivo. A Superintendência local espera que consiga resolver o problema.

De acordo com Nelson Felipe, superintendente da PRF em Sergipe, há um esforço para que o problema seja resolvido. “Nós estamos fazendo um esforço junto à bancada federal e a SENASP para que o posto de Cristinápolis também não seja fechado”, disse.

Dos 128 policiais da PRF, apenas 95 estão trabalhando efetivamente
Efetivo

O principal problema é com relação ao efetivo. Dos 128 policiais da PRF, apenas 95 estão trabalhando efetivamente. E deste total, 60 trabalham nas rodovias e 35 na parte administrativa.

Segundo o superintendente, o problema da falta de policiais rodoviários se estende a mais de dez anos no Estado. “O problema ultrapassa uma década devido há casos de aposentadoria, afastamento e desligamento. É um problema nacional, mas aqui em Sergipe é visto com mais gravidade, porque somos um Estado pequeno que possui muitas divisas”, comentou.

Para Nelson Felipe é difícil suprir a demanda com remanejamento de outros Estados. “O remanejamento é difícil, pois nenhum Estado dispõe do número de policiais necessários. A solução seria o concurso público, precisamos de 86 policiais para compor o efetivo mínimo em Sergipe. Hoje os postos funcionam com dois policiais por plantão quando o ideal são cinco homens”, afirmou.

*matéria foi alterada às 11h06 para correção de informações

Por Bruno Antunes

Comentários