Primeira instância

0

Viana de Assis explica que o secretário de Turismo, Pedrinho Valadares, está a par de toda essa situação, mas não move uma palha para resolvê-la. O caso já está na Justiça e, em primeira instância, a empresa Contur ganhou a pendega, obrigando o Estado a pagar o que deve com juros, correção monetária e honorários advocatícios totalizando mais de R$ 4 milhões.

O Secretário de Turismo, esta semana, disse que o Estado não poderia participar de um projeto que tem problemas de prestação de contas junto a Sudene. “Isso não é verdade”, diz Viana de Assis. “Não temos nenhum problema de prestação de contas. Todos os anos, uma ou duas vezes, a Sudene faz auditagem nas obras e nas contas e nada de irregular foi constatado”, finalizou.

Por Ivan Valença

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais