Primeiro dia do inverno terá a noite mais longa do ano

0

Neste  domingo, 21, os sergipanos viverão a noite mais longa do ano. O fenômeno acontece durante o dia na metade sul do planeta, quando  o sol atinge sua menor altura aparente no céu e marca a chegada da estação. Segundo dados do Departamento de Meteorologista da Semarh, a partir do primeiro dia do inverno, os dias ficam mais curtos, com apenas  9,5  horas em comparação aos vividos na primavera, outono e verão.

A estação de inverno inicia neste sábado, 20, em todo o Hemisfério Sul. Em Sergipe, a estação será marcada pela redução de temperaturas em todos os oito territórios sergipanos.

Estudos realizados pelo Governo do Estado junto ao Departamento de Meteorologia da Superintendência Especial dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente (Serhma), mostram que aspectos como a redução de insolação,  declínio do sol para o Hemisfério Norte e mudança de ventos frios para Sul e Sudeste influenciam na diminuição das temperaturas em todos os municípios.

De acordo com o meteorologista da Serhma, Overland Amaral, os sergipanos devem esperar pela hibernação climática comum durante a estação de inverno. “As previsões para todos os territórios sergipanos constituem-se de  temperaturas mais sensíveis que concentram-se no Território Agreste e no Alto Sertão. Nessas localidades, a elevação de altitude interfere na queda da temperatura através da circulação de massas e ventos frios que predominarão no interior do estado”, explica.

Um exemplo é o município de Riachão do Dantas, mas especificamente o povoado de Palmares, local em que já foram registrados em torno de 13ºC e 14ºC. Durante o inverno, a altitude pode chegar acima de 400 m, legitimando-a  como a região mais fria de Sergipe. O fenômeno também é comum  nos  municípios de Carira e Nossa Senhora da Glória.

O meteorologista Overland Amaral chama a atenção para outros fatores que também definem a chegada da estação. “Além da presença de chuvas finas, nuvens estratiformes (compostas por uma série de camadas) e as baixas temperaturas, outro sinal que deve ser observado é a passagem forte e veloz de ventos vindo do Sul e Sudeste sobre o mar. Eles atingirão a costa litorânea, provocando ressacas e grandes ondas. No entanto, nas regiões urbanas as chuvas serão mais amenas”, esclarece.

Com informações da ASN

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais