Procura de drogas cresce durante festas de janeiro e fevereiro

0

Maconha ainda é droga mais vendida no Estado
O período de Carnaval é tempo propício para os traficantes de drogas: a demanda por substâncias ilegais, que vão desde a maconha e a cocaína até o lança-perfume cresce nos meses que vão de dezembro a fevereiro. Através de investigações de combate às quadrilhas, as Polícias Civil e Federal têm trabalhado a fim de combater o tráfico em Sergipe.

A Polícia Federal desarticulou cinco quadrilhas que forneciam drogas à capital e ao interior do Estado em 2008. Normalmente, a maconha que chega ao Estado vem de Juazeiro, e o tráfico de cocaína e drogas sintéticas é oriundo dos estados do Sudeste do país, principalmente São Paulo.  

Del. João Batista: “O carnaval de Aracaju não é um período de procura de drogas como o Pré-Caju”
Mesmo ainda sendo a droga mais comum durante as apreensões policiais, a maconha vem perdendo espaço para a venda da cocaína e seus derivados – lista que inclui o crack, a pasta-base e o pó.

Combate ao tráfico no Carnaval

Durante a semana de Carnaval, a Polícia Civil – juntamente com todos os órgãos de segurança do Estado – fará parte de um esquema de segurança que se baseará em medidas para proteger o folião que veio a Aracaju aproveitar o carnaval de rua.

O delegado João Batista, da 

A delegada da PF, Mônica Horta
Delegacia Especializada no Combate ao Tóxico e a Entorpecentes (DECTE) acredita que o carnaval no Estado não é caracterizado como um período em que a procura de droga aumente tanto quanto a festa do Pré-Caju. Mesmo assim, neste ano a Polícia Civil não registrou nenhuma apreensão de lança-perfumes na prévia carnavalesca.

O motivo, segundo o delegado, é o crescimento do número de usuários de drogas sintéticas. “Em Aracaju, tem ganhado espaço as drogas sintéticas, como o ecstasy e o LSD. Além disso, há o constante crescimento do número de usuários de crack”, afirma João Batista.

Cocaína tem sido bastante procurada em Sergipe
Sobre as medidas tomadas pela Polícia Civil no período carnavalesco, o delegado explica que não há nenhum tipo de fiscalização especial na festa. “Agiremos para prevenir roubos, furtos e qualquer situação que seja necessária nossa atuação, como o tráfico de drogas. Não há um esquema tático específico para a DECTE neste período, apenas o esquema de proteção ao folião da SSP”, declara o delegado João Batista.

Já a Polícia Federal, que normalmente faz operações de grande porte para desarticular quadrilhas, funcionará em plantão 24h e colocará equipes policiais nas ruas nos cinco dias de festas.

Tráfico de drogas no Orkut

Comunidades de tráfico de drogas são encontradas facilmente no Orkut
Quanto à fiscalização realizada no site de relacionamentos Orkut pela polícia, a delegada da Polícia Federal Mônica Horta afirma que a prática ainda é incomum em Sergipe. “Não temos como confirmar se a comunidade é especificamente do Estado, como acontece com o tráfico online em Salvador”, afirma Mônica, exemplificando algumas comunidades sobre o Carnaval de Salvador, onde aproveitavam para traficar as drogas.

Mesmo incomum, o Estado registra práticas alternativas para o tráfico. “Já apreendemos até 10 kg de cocaína mandado pelos Correios. Porém, é mais difícil de encontrar culpados nestes casos, pois a droga não vai diretamente ao destinatário”, diz a delegada.

Por Domingos Lessa e Raquel Almeida

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais