Professora é agredida e presa por determinação da juíza de Divina Pastora

0

A professora Maria Givanilde dos Santos foi liberada por volta das 15h30 de hoje, 25, depois de ter sido presa por determinação da juíza titular da comarca de Divina Pastora, Soraia Gonçalves de Melo.

Segundo informações da diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe (Sintese), a magistrada teria agredido fisicamente e determinou a prisão da professora, que é líder sindical e participava de uma passeata organizada pela entidade, na cidade de Divina Pastora.

Durante a passeata, os manifestantes cobraram do chefe do Executivo o pagamento de dois meses de salários atrasados. Também pediram um posicionamento a respeito do problema do Ministério Público e Poder Judiciário. 

De acordo com o relato do Sintese, terminada a passeata, a professora se dirigiu ao Fórum para uma audiência marcada, anteriormente, com a juíza. Neste encontro, a magistrada teria se mostrado indignada com o ato dos educadores e determinado a prisão de Givanilde. Testemunhas relataram que depois de algemada, a professora foi agredida com dois tapas no rosto pela juíza.

O caso foi acompanhado de perto pelos líderes do Sintese e pelo assessor jurídico do sindicato. Somente depois de uma longa negociação a professora foi liberada. O fato foi motivo de pronunciamento na Câmara Federal feito pelo 
deputado federal Iran Barbosa (PT-SE). Ele anunciou  que vai ingressar no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Corregedoria do Tribunal de Justiça de Sergipe com representação contra a juíza.

Comentários