Profissionais da área de eventos pedem ajuda ao Governo

0
O ato foi para sensibilizar o Governo e a população (Foto: Vailton Linhares)

Para chamar atenção do Governo e da sociedade, profissionais da área de eventos sociais realizaram um casamento dentro de um ônibus do transporte coletivo de Aracaju, na última quarta-feira, 17, como forma de protesto. Há mais de um ano que os profissionais da área estão sem trabalhar. O ato não foi para pedir a retomada dos eventos, a categoria pede sensibilidade e um auxílio ao Governo.

De acordo com Vailton Linhares, representante da comissão dos cerimonialistas de Sergipe, há muitos profissionais da área que estão sem ter o que comer. “ Outros setores tiveram restrições, já o nosso foi totalmente proibido de fazer eventos. Entendemos e concordamos com as medidas adotadas, é impossível fazer um evento, mesmo que com todas as medidas de segurança, sem aglomerar. A questão é que estamos sem trabalhar e muita gente só vive disso. Já estamos nessa situação há mais de um ano e todo dia eu recebo ligações de pessoas do setor desesperadas porque não tem mais como comprar comida para família. As pessoas estão passando fome”, explica.

Vailton lembra que a proibição dos eventos sociais, a exemplo de casamentos, formaturas e eventos coorporativos, envolve uma cadeia de profissionais, e muitos estão sem fonte de renda.

Vailton Linhares conta que muitas pessoas do setor estão passando por dificuldades (Foto: Acervo pessoal)

“ No início da pandemia o que mais escutamos é que a palavra de ordem é se reinventar, mas nem tudo deu certo. Algumas pessoas conseguiram ter uma atividade paralela, outras não. Nosso ação não é para pedir que as festas sejam liberadas, entendemos e concordamos com as medidas do Governo. O que queremos é algum tipo de ajuda do Governo, um auxílio. Sabemos que legalmente isso é possível”, afirma o cerimonialista que conta que em outros estados, a exemplo do Ceará, Bahia e Maranhão há auxílios aprovados para o setor.

“No Ceará mesmo, são duas parcelas de  mil reais. Estamos pedindo pelo menos cestas básicas porque as pessoas estão passando fome”, enfatiza.

Vailton conta que a categoria tentou várias vezes se reunir com o Governo, mas não conseguiu ser recebida. “Tentamos nos reunir com o Comitê, falamos com a Secretaria de Comunicação para tentar marcar uma reunião, mas até hoje não tivemos abertura. Nós queremos apenas que o Governo tenha sensibilidade com a nossa categoria, nos ouça e nos ajude”, diz.

Prejuízos

Com a proibição no inicio do mês da realização de eventos de qualquer natureza, Vailton conta que os prejuízos foram enormes porque eles foram pegos de surpresa e não foi dado nenhum tipo de prazo para iniciar as medidas.

“ A decisão foi imediata. Anunciou a proibição na quinta e na sexta-feira estava proibido. E os eventos que estavam marcadas no final de semana porque dois dias antes estavam liberados? Eu tinha um evento no domingo para poucas pessoas, mas que os noivos investiram alto e simplesmente toda a parte perecível, a exemplo de flores e comida que já estavam em execução, foi perdida. O prejuízo financeiro e emocional é imensurável. Não custava nada ter dado uma semana para se adequar, mas não, o Governo foi irredutível”, aponta.

Linha de Crédito

O Governo, através do Banese, anunciou a liberação de uma linha de crédito para as pessoas da área de eventos, mas, de acordo com Vailton, essa medida não vai ajudar a muita gente. “ Muitas pessoas estão com seus nomes negativados porque tiveram que optar por pagar conta ou comer, e sem contar que é um empréstimo com carência de apenas um ano para começar a pagar. Um ano passa muito rápido e nesse tempo a pessoa tem que se reerguer e pagar o empréstimo, e infelizmente, não temos nem perspectiva de melhora. As pessoas estão desacreditadas, e como vão investir seu dinheiro em eventos nesse cenário de incerteza? “, questiona.

A categoria está fazendo campanhas internas para arrecadar alimentos para doar para os profissionais que estão passando por dificuldades. Quem quiser ajudar pode entrar em contato com Vailton através do telefone  (79) 99919-5911.

O Portal Infonet entrou em contato com o Governo do Estado que informou que foi liberada uma linha de crédito no valor de R$ 50 milhões pode ser contratada pelos profissionais da área de eventos. O Governo informa que tem dialogado com todas as categorias e recebido, principalmente, sugestões.

Por Karla Pinheiro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais