Projeto Empatia busca fortalecer setor hoteleiro sergipano

0
Dados apontam que 361 pessoas estão cadastradas como guias em Sergipe. (Foto: Freepik)

A pandemia do novo coronavírus e a necessidade do distanciamento social afetou diversos setores da economia, entre eles, o turismo. Há quase 15 meses, hotéis e pousadas, têm o desafio de manter-se ativos, enquanto os guias buscam maneiras de sobreviver e garantir o sustento de suas famílias. E foi com a intenção de fortalecer a união entre os principais agentes do setor, ou seja, o setor hoteleiro e os guias de turismo, que nasceu o Projeto Empatia.

Fruto de uma parceria entre o Hotel Recanto da Orla e o Sindicato dos Guias de Turismo de Sergipe (Singtur/SE), o projeto transforma o guia em turista de sua própria região. Em vez de recepcionar e orientar viajantes, os guias ficam hospedados no hotel, desfrutam da acomodação e suas sensações e ainda trocam experiências sobre os locais mais atrativos de Sergipe.

“Os guias de turismo, assim como parte da população, também estão esgotados mentalmente e nós queríamos ajudá-los de alguma forma, pois a categoria é a nossa principal parceira. Com isso, decidimos convidá-los para inverter os papéis e se transformarem em turistas da nossa cidade, sentindo o ambiente, desfrutando da hospedagem e podendo falar ainda mais sobre Sergipe. A ideia também é proporcionar um novo olhar sobre os atrativos do nosso estado, principalmente, da capital, e trazer novas ideias para a retomada do turismo. Procuramos o Sindicato e a ideia de proporcionar lazer e estreitar as relações entre hotéis e guias foi recebida da melhor maneira possível”, afirmou a empresária Raquel Gurgel.

Dados do Singtur/SE, baseados em informações do Ministério do Turismo, apontam que 361 pessoas estão cadastradas como guias em Sergipe. Desse total, cerca de 120 vivem exclusivamente do turismo. Para a presidente do Sindicato, Irma Karla, o projeto ofertará não só momentos de lazer, mas também benefícios à saúde emocional desses trabalhadores que raramente têm férias e, atualmente, enfrentam dificuldade devido à pandemia.

“É muito bom que o guia tenha a possibilidade de se hospedar em um hotel, ser turista em sua própria cidade e sentir o ambiente de outra maneira. O momento de lazer proporcionado pelo projeto pode fazer com que a pessoa se revigore e até se reinvente dentro de sua profissão. Para o guia que dificilmente tem descanso é algo excelente”, avaliou Irma Karla.

Experiência aprovada

O guia Felipe Soares participou do Projeto Empatia e falou da sua experiência como turista. “Estamos em um momento muito complicado da vivência humana, pois há um cansaço mental e físico. Com certeza, ter momentos de lazer em um ambiente aconchegante e com a presença de pessoas agradáveis traz um alívio mental e uma felicidade maior. A experiência foi engrandecedora e espero ter contribuído para o projeto. Foram incríveis os dias que passei no hotel e tudo que lá vivi”, contou.

Felipe destacou também que a experiência como ‘turista’  beneficia o trabalho do guia. “Isso nos permite uma abertura de perspectiva sobre nossos serviços e também o maior contato com a hospedagem, que é um ponto chave para quem trabalha com turismo”, declarou.

Ampliação do projeto

O Projeto Empatia foi iniciado no Hotel Recanto da Orla, mas o objetivo é que as ações sejam ampliadas e contem com a participação de toda a rede hoteleira de Sergipe, contemplando os guias de turismo de todo o estado. Quem desejar conhecer e aderir ao projeto deve entrar em contato com o Singtur/SE por meio do telefone (79) 99814-2169.

Fonte: NV Comunicação

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais