Quadrilha agia em blitz do crime

0

Os presos foram surpreendidos com a ação da polícia (Fotos: Portal Infonet)
Chegou ao fim, a ação criminosa de uma quadrilha que estava aterrorizando os moradores do município de Malhador, distante cerca de 49 km da capital sergipana. Conforme já publicado pelo Portal Infonet na manhã desta quinta a prisão das 21 pessoas foi fruto de um trabalho de investigação realizado desde julho desse ano quando comerciantes e moradores passaram a ser alvos de assaltos.

A delegada responsável pela apuração juntamente com as equipes de investigação da Delegacia Regional de Malhador, Ana Paula Moreira, conta que os produtos adquiridos mediante os assaltos eram vendidos para abastecer o tráfico de drogas. Para articular a operação a delegada passou a monitorar os passos da quadrilha que era comandada Alan Melo dos Santos, de 21 anos. Para a polícia Alan

A quadrilha agia armada e realizava vários assaltos na região
passou a aterrorizar a população, chegando inclusive a montar uma blitz na entrada de povoados para praticar assaltos.

A ousadia dos bandidos era tão grande que até um policial militar foi ameaçado pelo grupo. “Quando a polícia passou a realizar diligências, fazendo o policiamento ostensivo na área, o grupo começou a observar e não gostar da presença da polícia, por isso o Alan chegou a ameaçar um militar de morte”, enfatiza.

Encapuzados

Como eram moradores do município, para tentar despistar a ação da polícia o bando agia camuflado com camisas amarradas no rosto, luvas e capuzes. Uma ação que surpreendia familiares que não desconfiavam da ação criminosa. Segundo a polícia a

A delegada Ana Paula Moreira
maioria dos presos eram trabalhadores rurais e exerciam atividades de reflorestamento para um projeto social, situado na capital.

Violência

Durante a abordagem as vítimas, os bandidos eram violentos, agiam armados, davam coronhadas e batiam.

Prejuízos

A delegada não soube precisar os prejuízos causados durante os assaltos, mas explicou que somente no mês de julho foram cerca de 10 boletins de ocorrência feitos na delegacia. “Dois comerciantes da cidade tiveram prejuízos em torno de R$7 mil. Em um assalto eles levaram R$5 mil e no outro levaram R$2 mil”, lembra.

Alan (blusa listrada) é apontado pela polícia como o cabeça da quadrilha  
Apreensão

Além de celulares e maconha, a polícia conseguiu apreender cinco revólveres. Sendo uma arma calibre 32 e outros quatro de cano longo.

Presos

Os presos que agiam principalmente nos povoados Alecrim, Creche e Capunga foram identificados como José Augusto da Silva Filho, de 34 anos, conhecido como “Gustinho”; Mário Júnior Santos Santana, de 18 anos; José Alexandro dos Santos, de 20 anos, conhecido como “Leco” ou “Alexo”; José Adriano da Silva, de 18 anos, conhecido como “Lec”.

Foram presos ainda os irmãos Robério Joaquim de Santana, de 18 anos, o “Tiririca”; Roberto Joaquim de Santana, de 25 anos e Robson Joaquim de Santana, de 22 anos. O quatro irmão, um

Entre os presos estão quatro irmãos
adolescente de 17 anos também foi apreendido.

Os outros presos foram identificados como José Cláudio Vieira, de 23 anos; José Clécio dos Santos, de 28 anos, conhecido como “Gordinho” e o homem apontado como o cabeça Alan Melo dos Santos, de 21 anos.

O grupo ainda é formado por Denilson Ribeiro da Silva, de 26 anos; Lucas Damião Correia Lima, de 28 anos; Rafael Mendonça Santana, de 22 anos; José Claesiono dos Santos, 24 anos, o “Esquisito”.

Uma mulher identificada como Izabel Cristina Correia Lima, de 51 anos, também foi presa. Para a polícia Izabel era encarregada de esconder as armas utilizadas pelos criminosos. Com a mulher a polícia apreendeu um aparelho celular roubado.

Por Kátia Susanna

Comentários