Quadrilha que roubava senhas bancárias é presa

0

Três dos cinco identificados foram presos

A Polícia Civil, através do Departamento de Defraudações e Combate à Pirataria (DEFD),  desarticulou uma quadrilha que estava aplicando golpes a clientes que usavam terminais de auto-atendimento bancário, principalmente nos feriados e finais de semana. A prisão de três dos cinco membros da quadrilha aconteceu na tarde de ontem, 11.

A delegada responsável pelo DEFD, Viviane Pessoa, explica que a os cinco membros da quadrilha agiam geralmente nos finais de semana e feriados quando a agência estava fechada. Eles montavam um equipamento conhecido como ‘chupa cabra’ junto com um aparelho de telefone.

Com o equipamento montado, quando o cliente chegava ao banco para fazer uma retirada o cartão ficava preso no caixa eletrônico. A quadrilha

A delegada Viviane Pessoa
aproveitava o desespero do cliente e orientava que fosse até o aparelho de telefone, montado pelos criminosos, onde era orientada a passar todos os dados como senhas para a quadrilha.

Viviane Pessoa explica que quando o cliente deixava o banco, as informações passadas por telefone eram utilizadas para sacar dinheiro e fazer empréstimos.

Vítimas

A delegada destaca que as vítimas na sua maioria em idosos que não desconfiavam ou eram intimidados pela presença dos golpistas. A polícia calcula que até o momento seis pessoas teriam caído no golpe. Com a divulgação do modo de operação dos criminosos, a polícia espera que outras vítimas procurem a delegacia.

Os homens foram presos em um shopping da capital
Presos

A informação é que a quadrilha composta pelos paulistas Ronaldo Silva, de 40 anos, conhecido como ‘Paju’; William Alves de Queiroz, de 39 anos, o ‘Bolão’; e o carioca Fernando de Aguiar Pontes, de 38 anos, conhecido como ‘Gordão’ continuava morando em São Paulo, mas voltava a Sergipe para aplicar o golpe.

Com cerca de dois meses de monitoramento a delegada conseguiu montar uma operação que terminou nas prisões dos acusados que estavam em um Shopping da capital sergipana realizando compras. “Para não levantar suspeitas, eles estavam comprando e pagando em dinheiro”, diz Pessoa.

Equipamento usado no golpe (Branco), equipamento que seria usado (Preto)
Investigação

Com as prisões de três dos cinco identificados a polícia continuará trabalhando para prender os outros dois golpistas. A polícia também não descarta a possibilidade da quadrilha ter atuado em outros estados do país.

Desconfie

Viviane Pessoa dá um alerta e diz que os clientes não devem pedir e nem aceitar ajuda de ninguém durante uma transação bancária. “Nenhum funcionário de banco vai pedir a sua senha”, observa.

Por Kátia Susanna

Comentários