Reservatório de Xingó aumentará vazão para 800m³/s

0
Reservatório de Xingó aumentará vazão liberada para média semanal de 800m³/s (Foto: Zig Koch / Banco de Imagens ANA)

A partir desta terça-feira, 9 de abril, o reservatório de Xingó (AL/SE), no rio São Francisco, aumentará sua defluência para 800m³/s, considerando-se a média semanal, em vez dos 750m³/s que vinham sendo liberados em média por semana pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (CHESF). Esta elevação foi acordada na reunião da Sala de Crise do Rio São Francisco, realizada nesta segunda-feira, 8 de abril.

Esta decisão se deve à redução da geração de energia eólica no subsistema Nordeste, que, de acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), tem março e abril como piores meses na geração eólica. Além disso, a medida leva em consideração a melhora das condições de armazenamento de água da bacia hidrográfica do São Francisco. Em 7 de abril, o Reservatório Equivalente da Bacia do Rio São Francisco – formado pelos reservatórios de Três Marias (MG), Sobradinho (BA) e Itaparica (BA/PE) – estava com 52,04% de seu volume útil, sendo que um ano antes o total acumulado era de 36,79%.

A bacia do São Francisco passa por seca desde 2012, maior período contínuo do fenômeno já registrado na região. Por isso, desde abril de 2013, os reservatórios de Sobradinho e Xingó vêm operando com uma defluência mínima abaixo de 1300m³/s, utilizada em situação de normalidade, devido às chuvas e afluências abaixo da média na bacia do Velho Chico.

A primeira autorização para a prática da vazão mínima defluente de 550 m³/s nas barragens de Sobradinho (BA) e Xingó foi dada pela ANA por meio da Resolução ANA n° 1.291, de 17 de julho de 2017, e prorrogada pelas resoluções n° 1.943/2017nº 30/2018nº 51/2018nº 90/2018 e nº 19/2019 – esta última autoriza a vazão mínima defluente até 30 de abril deste ano. Este foi o menor patamar médio já adotado em Sobradinho desde sua construção em novembro de 1979.

Além das resoluções da Agência, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) expediu à CHESF, em 7 de agosto de 2017, a Autorização Especial nº 12/2017 para executar testes de redução da vazão defluente na hidrelétrica de Xingó até o limite mínimo de 550m³/s.

Xingó

Localizada entre Alagoas e Sergipe, a hidrelétrica de Xingó é operada pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco a fio d’água – o mesmo volume que entra nela, acaba saindo. Com capacidade de armazenamento de 3,8 trilhões de litros em seu reservatório, Xingó tem uma potência instalada de 3.162MW. A hidrelétrica está a 179km da foz do São Francisco, entre os municípios de Piaçabuçu (AL) e Brejo Grande (SE).

Chesf

A Diretoria de Operação da Chesf informa que em função da permanência da redução de geração eólica no Nordeste neste mês de abril, o Operador Nacional do Sistema Elétrico – ONS propôs, na Reunião de Avaliação das Condições de Operação dos Reservatórios da Bacia do Rio São Francisco, coordenada pela Agência Nacional de Águas – ANA, ocorrida no dia 08/04/2019, nova alteração na operação da Usina de Xingó, a partir de 09/04/2018.

A alteração aprovada consiste em praticar nos dias úteis uma defluência média diária de 858 m3/s e nos sábados, domingos e feriados uma defluência média diária de 685 m3/s.

A elevação da vazão de Xingó favorece os múltiplos usuários do rio, conforme a natureza das suas atividades – pesca, irrigação etc.

Com informações da ANA e Chesf

Comentários