MP/BA emite mandados de busca para residência de major do CBMSE

0

A residência do major Fernando Argolo, do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE), foi alvo de mandados de busca e apreensão emitidos pela Promotoria de Justiça do município de Feira de Santana, com o apoio do Gaeco da Bahia, na manhã desta terça-feira, 18. A assessoria de comunicação do CBMSE, enviou nota à imprensa desmentindo que o major teria sido preso, sob acusação dos crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro por meio de empresas de consultoria, mas confirmou a investigação.

O comando do CBMSE informa que, até às 16h de hoje, não recebeu nenhuma informação oficial por parte do Ministério Público da Bahia ou de Sergipe. “Não houve prisão do referido militar, conforme veiculado em um site de notícias. A corporação reforça que o referido major é considerado um excelente profissional e sempre manteve uma conduta exemplar em sua atuação, tanto no CBMSE, quanto no GTA, e deverá apresentar sua defesa no momento oportuno”, diz a nota.

As informações extraoficiais seriam de que um parente do major está sendo investigado e por isso sua residência teria sido alvo dos mandados.

A equipe de jornalismo do Portal Infonet está à disposição do major para maiores informações pelo e-mail jornalismo@infonet.com.br ou pelo telefone (79) 21068000.

Pityocampa

A operação, denominada “Pityocampa”, é resultado de uma investigação iniciada em 2016 pela Promotoria de Justiça do município de Feira de Santana, com o apoio do Gaeco da Bahia.

Na manhã desta terça-feira, 18, o Ministério Público Estadual da Bahia, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco), em parcerias com a Controladoria-Geral da União (CGU), Receita Federal do Brasil (RFB) e Polícia Rodoviária Federal (PRF), deflagrou a operação para desarticular uma suposta organização criminosa responsável por desviar milhões de reais da saúde pública do município de Feira de Santana, na Bahia.

Na operação, o Ministério Público cumpre 23 mandados de busca e apreensão e 10 mandados de prisão temporária, expedidos pela Vara dos Feitos Relativos a Delitos Praticados por Organizações Criminosas e Lavagem de Dinheiro de Salvador contra os profissionais de saúde, empresários e agentes públicos envolvidos no suposto esquema. Também foram cumpridos mandados em Aracaju, São Paulo e Fortaleza, estes com apoio dos Gaecos de Sergipe, São Paulo e Ceará.

(com informações do MP/BA)

Comentários