Rodoviários continuam parados até a próxima terça-feira

0

Rodoviários continuam reunidos na Praça da Bandeira
A paralisação dos rodoviários prossegue até a próxima terça-feira, 31. Nesta data, uma comissão de rodoviários se reúne com representantes do sindicato dos empresários (Setransp), para discutir uma nova proposta salarial. Em não havendo acordo, os rodoviários darão continuidade ao movimento iniciado na última sexta-feira, 27.

De acordo com o líder dos grevistas, Marcos Rocha, “a paralisação segue com adesão de quase 100% dos motoristas e cobradores”. Segundo ele, só não estão participando do movimento, os rodoviários que temem futuras represálias. “Aqueles que são novatos e estão com medo da demissão não estão na greve”, ressalta Marcos. Ele denuncia ainda que cerca de 80 funcionários estão sendo impedidos de participar da paralisação pelos empresários, “ficando presos nas garagens das empresas”.

Negociação

“Só aceitaremos a proposta de 6,5% de reajuste, se os donos das empresas reduzirem o valor da tarifa”. Esta é a condição apontada pelo líder do movimento para que eles voltem ao trabalho. Caso contrário, os rodoviários continuaram protestando pelo aumento de 12% do salário e a elevação do ticket alimentação para R$ 250. Estes pontos de debate serão tratados na reunião que acontece na terça-feira, a partir das 9h.

Outras reivindicações

Segundo Marcos Rocha, a categoria reivindica o cumprimento da carga horária de trabalho, o recebimento do vale alimentação durante as férias e o repasse dos descontos de Fundo de Garantia (FGTS) e de seguridade social (INSS). “As empresas forçam seus funcionários a trabalharem mais de oito horas por dia. Além disso, os empresários não estão pagando o FGTS e o INSS dos rodoviários, embora os descontos sejam feitos mensalmente em nossos salários”, argumentou ele.

Por Valter Lima

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais