Ruas esburacadas ficam intransitáveis no Manoel Preto

0
Esgoto e buracos são comuns no local (Foto:Portal Infonet)

Se as íngremes ladeiras do conjunto Manoel Preto já requerem cuidados aos condutores, agora os buracos e esgotos nas ruas praticamente tornaram as vias intransitáveis. No loteamento São Sebastião, moradores da rua ‘E’ há três meses aguardam a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) consertar o pavimento quebrado por ela mesmo, para realização de um serviço.

“Eles fizeram um serviço na tubulação, concluíram e colocaram os paralelepípedos de qualquer jeito. Já reclamamos, registramos protocolo, sempre dizem que em breve virão, mas na verdade estão nos fazendo de besta”, braveja o morador Anderson Moraes. No trecho em específico, o morador diz que já viu veículos enganchados, incluindo uma ambulância, e até queda de idosos.

Na mesma rua, num trecho mais acima, um esgoto corre a céu aberto e toma conta de praticamente metade da via, tornando inviável a passagem de veículos maiores. Segundo o seu José Francisco, esse é um problema de anos. “Esse esgoto já fez aniversários. Há muito tempo está aí e ninguém toma uma providência”, reclama.

Moradores reclamam das condições da rua Vila Ana, sem calçamento

Os problemas não ficam restritos a rua E. Na via paralela, rua Vila Ana, em toda sua extensão não há pavimento asfáltico. Segundo a moradora Rosângela dos Santos, quando chove, nem mesmo o caminhão do lixo consegue subir a via. “Quando começa a chover a gente já fica preocupado. E para piorar é uma ladeira. Você escorrega, a lama escorre para as casas. É uma vida que a gente já teve que se acostumar”, lamenta a moradora.

Empresas

A assessoria de comunicação da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), informou que há perspectiva de ações de infraestrutura, incluindo pavimento, na região do conjunto Manoel Preto, mas ainda não há recurso para esses serviços. De acordo com a empresa, a Prefeitura está viabilizando a captação destes recursos.

Nossa reportagem também entrou em contato com a assessoria de comunicação da Deso, que se comprometeu a enviar nota em resposta, o que não aconteceu até o fechamento desta matéria. Nós permanecemos à disposição da Deso para posicionamento por meio do telefone (79) 2106-8000 ou através do e-mail jornalismo@infonet.com.br.

Moradores reclamam da Deso: após serviço, rua ficou sem o devido reparo

Por Ícaro Novaes

Comentários