Saiba como retirar carteira de identidade em Sergipe

Após o período de emissão, documento permanece arquivado por igual tempo e somente pode ser retirado mediante pagamento de taxa de desarquivamento (Foto: SSP/SE)

Mais de 20 mil documentos de carteira de identidade permanecem arquivados na sede do Instituto de Identificação Papiloscopista Wendel da Silva Gonzaga (IIWSG). Esses RGs estão na sede da instituição por não terem sido retirados pelos cidadãos que fizeram a solicitação do documento em Sergipe.

Os documentos podem ser retirados de forma gratuita até seis meses após a emissão, porém, pelos seis meses seguintes, é preciso o pagamento da taxa de desarquivamento. Os RGs que já foram arquivados – seis meses após a emissão – devem ser retirados na sede do IIWSG, de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 12h.

Instituto de Identificação Papiloscopista Wendel da Silva Gonzaga (IIWSG) fica localizado na rua Porto da Folha, 345, no bairro Getúlio Vargas, em Aracaju.

Conforme o diretor do IIWSG, Jenilson Gomes, a instituição atende a uma média de 1,8 mil a 1,9 mil pessoas por dia. “Desse volume de atendimento, é gerado uma emissão média de 1 mil a 1,1 mil  carteiras de identidade. Mas, o que nós temos reparado é que, nos últimos meses, há um volume significativo de documentos que foram já expedidos e não foram retirados”, revelou.

Inclusive, após a coleta biométrica, o cidadão recebe um número de protocolo que possibilita o acompanhamento do processo de emissão pelo site da SSP. “Protocolo com a data prevista para retirada, além da informação sobre o ponto em que vai retirar aquele documento, que geralmente é a unidade onde houve o atendimento”, detalhou.

“No site da secretaria, o cidadão acessa a página do RG e informa o número do protocolo que foi recebido durante o atendimento. É com esse protocolo que o cidadão faz o acompanhamento e verifica se o documento já está pronto para ser retirado”, orientou Jenilson Gomes.

Após a data de liberação, entra a vigorar o prazo para a retirada do documento. “Caso o RG não seja retirado em até seis meses após a sua emissão, esse documento vai para o arquivo do Instituto de Identificação. O documento fica nesse arquivo durante seis meses. Após esse período, o documento é inutilizado”, alertou.

Nos casos em que o documento tenha sido direcionado ao arquivo do Instituto de Identificação, é preciso que o cidadão pague a taxa de desarquivamento, que é de R$ 12,40. “Nesse período, o cidadão deverá ir à sede do IIWSG e pagar a taxa de desarquivamento”, ressaltou.

Além do custo ao cidadão, com o pagamento da taxa de desarquivamento, o arquivo desses documentos solicitados pelos cidadãos e não requisitados por eles também geram impactos no atendimento do IIWSG. “Porque ficam muitos documentos represados e necessitando que um servidor custodie esses RGs, o que pode atrasar o atendimento”, evidenciou.

O diretor do IIWSG concluiu destacando que, após o período em que o documento pode permanecer arquivado, será necessário que o cidadão inicie novamente o processo de solicitação do RG. “Passado esse período, não é mais possível retirar o documento e o cidadão precisará fazer novamente a solicitação do RG”, finalizou Jenilson Gomes.

Fonte: SSP/SE

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais