Salles diz que Greenpeace tem que explicar navio em águas brasileiras

0
Ministro Ricardo Salles durante coletiva de imprensa em Aracaju (Foto: Portal Infonet)

O Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, usou uma rede social nesta quinta-feira, 24, para divulgar que um navio do Greenpeace trafegava em águas brasileiras no período do derramamento do óleo. Horas depois, durante coletiva de imprensa na capital sergipana, quando questionado se o post se tratava de uma acusação direta, o ministro não confirmou e nem negou, mas disse que a organização ambiental “tinha que se explicar”.

A situação começou no início da tarde, quando em tom irônico, Salles postou a seguinte frase: “Tem umas coincidências na vida né… Parece que o navio do #greenpixe estava justamente navegando em águas internacionais, em frente ao litoral brasileiro bem na época do derramamento de óleo venezuelano…”.

No fim da tarde, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, se pronunciou, pedindo um posicionamento oficial do Ministério do Meio Ambiente sobre o assunto. Em resposta a ele, Salles respondeu: “Presidente, o navio do Greenpeace confirma que navegou pela costa do Brasil na época do aparecimento do óleo venezuelano, e assim como seus membros em terra, nao se prontificou a ajudar”.

Durante a coletiva de imprensa no Palácio dos Despachos em Aracaju, quando estavam presentes o presidente em exercício, Davi Alcolumbre, o governador Belivaldo Chagas, o prefeito Edvaldo Nogueira, além de senadores e deputados, Salles foi novamente questionado sobre o assunto e confirmou que recebeu a informação de que o navio do Greenpeace trafegou em águas brasileiras.

“Há informação confirmada de que trafegava pela costa brasileira o navio do Greenpeace, enquanto houve o acidente. E o navio não se prontificou a parar para ajudar, o que só reforça a atitude do Greenpeace em terra, que também não se prontificou a ajudar. É nesse sentido que nós estamos sempre dizendo que eles são bons de marketing, discurso e arrecadação, mas de trabalho, não”, respondeu. Os jornalistas então pediram que o ministro fosse mais claro. “Eles confirmaram que estavam negando, eles quem tem que se explicar”, finalizou.

Geeenpeace

O Greenpeace se pronunciou por meio de nota, dizendo que “trata-se mais uma vez, de criar uma cortina de fumaça na tentativa de esconder a incapacidade de Salles em lidar com a situação. Disse também que o navio Esperanza faz parte de uma campanha internacional chamada “Proteja os Oceanos”, que saiu do Ártico e vai até a Antártida ao longo de um ano, denunciando as ameaças aos mares.

Segundo a organização, o navio passou pela Guiana Francesa, entre agosto e setembro, onde realizou uma expedição de documentação e pesquisa do sistema recifal conhecido como Corais da Amazônia, com o propósito de lutar pela proteção dos oceanos e contra a exploração de petróleo em locais sensíveis para a biodiversidade marinha. No momento, o navio está atracado em Montevidéu, no Uruguai.

A organização disse também que tomará todas medidas legais cabíveis contra todas as declarações do Ministro Ricardo Salles e que as autoridades têm que assumir responsabilidade e responder pelo Estado de Direito pelos seus atos.

Por Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais