Samarone diz que há um movimento de deseducação do trânsito

0

Durante reunião em que se definiu a inicialização do processo de verificação das condições dos ônibus coletivos que rodam em Aracaju antes de licenciar o veículo, o superintendente da SMTT, Antônio Samarone, fez críticas, sem citar nomes, a um suposto movimento que visa deseducar as pessoas sobre as leis de trânsito.

“Qual é o problema no trânsito? É que existe, infelizmente, em direção contrária, um movimento de deseducação. Que pede que haja impunidade”, disse Samarone sem citar nomes.

Samarone lembrou que ao aceitar o convite do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) para assumir a SMTT avisou que não conviveria e quanto mais fazer vista grossa ao que estivesse errado. “Quando assumir não queria nenhuma restrição e o prefeito disse que teria o apoio dele”, lembrou ele.

Guerra

De acordo com ele, o Código Brasileiro de Trânsito é um grande desconhecido que as pessoas se negam a abrir. “Como se negam a abrir ficam falando bobagem”, alfinetou. Samarone disse que o trânsito em Aracaju encontra-se numa situação que se a sociedade colaborar, abrir uma discussão pública sobre a questão terá condições de não passar pelas mesmas dificuldades que acontecem na cidade de São Paulo. “Em 1962 existiam em Aracaju cinco mil veículos hoje tem 170 mil. Vamos esperar que chegue como chegou São Paulo”, questiona.

Para Samarone, o trânsito em Aracaju é uma guerra. “Cada um quer levar vantagem, quer passar primeiro, fazer uma roubadinha… o trânsito é uma indústria de descumprimento da lei, não é uma indústria da multa… aí quando vai discursar disse que o trânsito é uma indústria de multa, e não é!”, reclamou.

O superintendente da SMTT aproveitou para avisar que continuará aplicando a lei, mesmo que isso não agrade alguns setores da sociedade, mas, segundo ele, não dá para consertar o trânsito com demagogia.

Comentários