São Cristóvão já tem planos para Mosqueiro

0

Valdione Sá, secretário-chefe do gabinete da Prefeitura de S. Cristóvão (Foto: Arquivo Infonet)
A Prefeitura Municipal de São Cristóvão já tem planos para as áreas da Zona de Expansão que, de acordo com decisão do Supremo Tribunal Federal não pertencem mais a Aracaju. A briga entre as duas cidades pelos povoados Mosqueiro, Areia Branca, São José e bairro Santa Maria se estende desde o ano 2000.

De acordo com o secretário-chefe do gabinete da Prefeitura de São Cristóvão, Valdione Sá, tão logo a primeira arrecadação de impostos da região chegue aos cofres, o prefeito Alex Rocha pretende instalar uma sub-prefeitura e investir nas áreas de saúde e educação. “A atual administração tem toda a competência para governar aquela área. Já realizamos muitos avanços em São Cristóvão: hoje não há servidores com salários atrasados, por exemplo. O mesmo governo que apóia Aracaju também nos apóia”, disse Sá.

Impostos recolhidos na região devem ser devolvidos, segundo Valdione
Com a decisão judicial, o secretário acredita que São Cristóvão passará a ser a segunda maior cidade sergipana em população, ultrapassando até a atual detentora deste título, Nossa Senhora do Socorro. Ele disse, ainda, que a Zona de Expansão continuará com a mesma atenção que tem atualmente. “Aquela região vai continuar tendo uma atenção ainda maior”, confirma.

Até segunda-feira, 5, a Procuradoria Municipal de São Cristóvão deve enviar ao Tribunal de Justiça de Sergipe um documento em que solicita o cumprimento da decisão do STF o mais rápido possível. Assim, Valdione diz que a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) deve repassar a São Cristóvão tudo o que foi arrecadado naquela área com impostos como o IPTU, ISS, IPVA, IPVI e royaltes.

“Todas as decisões até agora, em todas as ações que trataram desse tema, foram favoráveis a São Cristóvão, com Aracaju sempre recorrendo. Essa só foi mais uma”, explica Valdione Sá.

Aracaju

A Prefeitura de Aracaju deve mais uma vez recorrer da decisão do STF, mas ainda não há nenhum pronunciamento oficial. A Secretaria de Comunicação informou que ainda nesta quarta-feira, 1º, deve divulgar uma nota sobre o assunto. O Portal Infonet entrou em contato com o procurador da PMA, Luiz Carlos de Oliveira, mas o celular dele estava desligado.

Por Diógenes de Souza e Raquel Almeida

Comentários