Saúde mental: ter um pet em casa é uma prática terapêutica

0
Segundo os profissionais, cuidar de um animal de estimação traz benefícios à saúde física e mental. (Arquivo Infonet)

Nos tempos de pandemia, a adoção de um pet, pode ser tratada como benéfica para a população em meio ao momento de solidão em decorrência do distanciamento social. Ter um animal de estimação em casa pode ser considerado terapêutico e traz benefícios à saúde mental.

Psicólogo Alex Fabian Batalha. (Foto: Arquivo pessoal de Alex Fabian batalha)

De acordo com o psicólogo Alex Fabian Batalha, criar um animal doméstico é benéfico e recomendado. “Ter um animal em casa gera uma sensação de bem-estar físico e mental, ameniza o estresse e a ansiedade. Esses fatores podem ajudar a pessoa a ter uma vida mais leve”, explica. “Vão existir momentos de alegria que o pet vai proporcionar e o cérebro começa a liberar hormônios de prazer, por isso, ter a companhia de um animal é recomendada”, completa.

Além de ser benéfico, o psicólogo ressalta que criar um pet também é considerada uma prática terapêutica. “Para quem gosta de animais, ter um em casa pode amenizar a ansiedade, diminuir a solidão, aliviar o estresse, entre outras sensações positivas que podem ser geradas”, pontua.

Terapia Assistida por Animais

Segundo o psicólogo Alex Fabian, os animais têm uma parcela fundamental na manutenção da saúde mental do ser humano e, por isso, ele cita a Terapia Assistida por Animais (TAA) como uma ferramenta importante. Ele descreve a TAA como um importante suporte psicológico em processos de tratamentos de doenças e que não só ajudam no tratamento, mas também servem como uma tática de prevenção.

Ainda segundo o profissional, a TAA funciona como uma metodologia terapêutica em que animais treinados, podem ser eles cães, cavalos, peixes e até mesmo insetos, são conduzidos ao local de tratamento do paciente para gerar conforto e bem-estar.

Aqui no Brasil a TAA ainda não ganhou tanta popularidade, mas o profissional cita que ela é eficaz principalmente nas crianças e idosos, faixas etárias que mais demandam desse tipo de tratamento.

Criar um pet é um remédio

Veterinário Aerton dos Santos. (Foto: Arquivo Pessoal de Aerton dos Santos)

De acordo com o veterinário Aerton dos Santos, ter um animal de estimação, além de ser um complemento positivo nos cuidados da saúde mental, também pode ser um fator positivo na saúde física.  “Se for o caso de cuidar de um cachorro, por exemplo, o momento de brincar com ele, passear com ele, é um exercício físico, ou seja, é mais um benefício”, explica

O veterinário chama a atenção para os requisitos a serem observados antes de se ter um animal de estimação e cita três fatores essenciais para serem analisados. O espaço da residência, a disponibilidade de tempo e a afinidade com animais. O veterinário lembra que, independente de qual seja o animal, ele precisará de atenção e cuidado.

Uma boa companhia e também um bom amigo, o veterinário menciona que quem tem um animal em casa, tem uma vida melhor. “É uma troca muito boa, os animais deixam as pessoas felizes e eles também acabam ficando alegres porque sabem que proporcionam momentos de felicidade genuína”, comenta.

Por Isabella Vieira e Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais