Secretária considera greve precipitada

0

Teresa: A PMA não teria como pagar os 27% requeridos
A Secretaria de Educação do Município já decidiu de que lado vai ficar quanto à questão da greve dos professores, que deve ser deflagrada na segunda-feira. Hoje pela manhã, durante entrevista concedida pelo prefeito Marcelo Déda sobre o reajuste salarial dos servidores, Teresa Cristina, secretária de Educação, falou um pouco sobre o assunto.

 

De acordo com a secretária, “a Secretaria prefere acreditar na capacidade do prefeito Marcelo Déda. Ele tem que gerir toda a máquina pública, e não apenas a Educação”, explicou. Na visão da gestora, o papel da Prefeitura é procurar soluções que possam beneficiar a todas as categorias e ao próprio povo.

 

Teresa considerou, ainda, precipitada a ação dos profissionais da Educação, já que “os professores de Aracaju ganham um dos melhores salários do Brasil. O prefeito tem cumprido com todos os seus acordos e com sua palavra. A Prefeitura de Aracaju (PMA) é a que mais investe em educação”, disse ela, fazendo também um adendo: “Não estou dizendo, contudo, que os professores do Brasil ganham bem”.

 

Para encerrar, a secretária ratificou a palavra do prefeito: “Se ele concedesse os 27% (pedidos como reajuste pela categoria) a PMA não teria como pagar”. Cristina disse que não se sente mal com toda a situação, já que lutou por oito anos junto aos movimentos sindicais, além disso, “se você comparar os salários (do município) com os do Governo do Estado, verá que a Prefeitura paga praticamente o dobro”, finalizou.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais