Secretário diz que projeto do BRT está andamento

0
Reunião da ANTT aconteceu nesta quinta-feira, 23 (Fotos: Portal Infonet)

O município de Aracaju manifestou seu interesse nesta quinta-feira, 23, junto à Agência Nacional de Transportes Terrestre (ANTT) em utilizar os trechos devolvidos da malha da Ferrovia Centro Atlântica (FCA) nos estados da Bahia e Sergipe, para a utilização do BRT (Bus Rapid Transito), que visa melhorar o sistema de transporte coletivo na cidade de Aracaju.

A ANTT está realizando desde o mês de novembro de 2013 diversas reuniões nas cidades onde a malha ferroviária passa, a exemplo de Vitória/ES, Montes Claros/MG, Campos dos Goytacases/RJ, Aracaju/SE e Salvador/BA. O objetivo é ouvir manifestações da população local e do poder público sobre o aproveitamento que será dado aos trechos devolvidos da malha.

Presente na reunião, o secretário Municipal da Infraestrutura (SEMINFRA), Luiz Durval, deixou claro que a intenção do município de Aracaju é utilizar a malha ferroviária para a mobilidade urbana. “Inicialmente nós fizermos uma análise para a utilização com VLT, mas os estudos iniciais demonstraram inviabilidade no momento da implantação desse tipo de transporte, então, vamos partir para o BRT que é uma modalidade intermediária e de um custo bem menor. Hoje, um BRT custa R$ 50 milhões, cada quilômetro, enquanto o metrô vai para R$ 200 milhões. Então, só o Governo Federal tem cacife para bancar o metrô. Partimos para o BRT e vamos trabalhar mais com faixas ou quando muito, taxões, que simplificam muito o custo. O ideal é aquela situação onde a pista seja em concreto”, afirma.

Secretário Luiz Durval diz que implantação do BRT é mais viável 

A expectativa é que o BRT possa compreender todo o trecho da ferrovia que liga a avenida Rio de Janeiro, passando pela avenida São Paulo e Santa Gleide.

De acordo com Luiz Durval, o projeto ainda está em fase inicial e sem previsão de conclusão. “O projeto está em desenvolvimento, agora precisamos que a ANTT faça a entrega do trecho para que o projeto possa ser executado. O que pretendemos é que a ANTT possa definir um cronograma de entrega para que a gente possa se programar e trabalhar porque não adianta se pensar em implantar um projeto na casa dos outros. Eu não acredito que isso tenha uma solução em menos de um ano, mas eu vou questionar isso”, acredita.

Derrubada de árvores

O secretário Luiz Durval, deixou claro que o interesse da prefeitura não será de derrubar todas as árvores no trecho em que o BRT será empregado. “Aproveito para rebater a acusação infundada que está ai, que eu atribuo à desocupados da rede, que dizem que temos um exército de motosserra para acabar com toda a árvore de Aracaju. Isso é uma mentira plantada. Haverá, sim, a necessidade de remoção de umas poucas árvores no no local da estação. Não são tantas árvores assim, mas passaram para a sociedade através das redes, a ideia que é um exército de motosserra”, afirma.

ANTT

De acordo com o gerente de regulação de rede da ANTT, Fernando Formiga, várias opções podem ser apresentadas à ANTT. “Estamos na quinta reunião participativa das seis previstas, mas temos o objetivo de colher contribuições para o eventual trecho, seja para manutenção do transporte de carga, para transporte de passageiro ou transporte turístico. Estamos percorrendo as cidades envolvidas e fazendo essas reuniões para colher contribuições, analisar e propor ao Ministério do Transporte alguma solução”, afirma.

A ANTT somente irá se pronunciar quanto ao resultado dos projetos sugeridos, ao final da última reunião participativa, marcada para acontecer no dia 29 de janeiro, em Juazeiro na Bahia.

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais