Sem-Tetos fazem ato com bloqueio da ponte que liga Aracaju a Socorro

Manifestantes exibem bandeira do movimento. (Foto: Portal Infonet)

Uma manifestação de moradores da ocupação Beatriz Nascimento, localizada no bairro Japãozinho, bloqueia a ponte que liga Aracaju a Nossa Senhora do Socorro, na altura do bairro Porto Dantas, zona norte da capital aracajuana, durante a manhã desta quinta-feira, 8. O protesto iniciou às 5h30 e é articulado e liderado pelo Movimento Trabalhadores Sem Teto (MTST).

O fluxo de veículos foi bloqueado pelo manifesto. (Foto: Portal Infonet)

Uma das coordenadoras do movimento, a sem-teto Michelle Bahia, explica que a mobilização tem por objetivo chamar a atenção do Governo de Sergipe para a efetiva doação do terreno onde os sem-teto ocupam atualmente. “Queremos que Belivaldo [PSD] nos atenda, porque ao chegarmos lá [no palácio] quem nos atendeu foi Eliane Aquino [PT]. A gente não quer negociar com ela, queremos com ele, pois o trato foi com ele”, reclama a manifestante.

Michelle indica que a insatisfação do movimento se insere na ausência do governador nas negociações e na iniciativa do governo de doar somente parte do terreno almejado. Segundo ela, chegou aos ocupantes a informação de que o Governo de Sergipe pretende construir uma escola com parte do espaço. “Ele falou que ia doar o terreno todo, mas depois, quando recorremos, ele veio com uma conversa de que dará a metade do terreno.”, afirma.

Bombeiros iniciam liberação depois das primeiras horas de protesto. (Foto: Portal Infonet)

Iniciadas as negociações, os manifestantes decidiram por liberar a ponte no sentido Nossa Senhora do Socorro/Aracaju. O advogado do MTST, Jan Ravlik, participa das conversas com policiais militares, bombeiros e agentes da Superintendência Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) e explica que o movimento entende que o objetivo inicial está sendo cumprido. “Os coordenadores entenderam que o objetivo, que era chamar a atenção bloqueando a via, já foi cumprido. Inicialmente a polícia chegou com uma atitude um pouco truculenta, mas conseguiu negociar com o movimento”, argumenta.

Em decorrência do manifesto, filas de veículos se acumularam em ambos os sentidos e os condutores passaram a se aglomerar às margens da ponte e das vias que dão acesso à saída e entrada da capital. Agentes da SMTT precisaram sinalizar o local com cones e deram orientações aos condutores que buscavam vias alternativas.

O Governo do Estado informa que o terreno que está ocupado pelo movimento pertence a Secretaria de Educação do Estado. No local, será construída uma Escola de Ensino Médio para suprir a carência do bairro Japãozinho e toda região Norte da Capital.

Ainda segundo o governo, ficou acertado com o movimento que o Estado vai doar 4 mil metros quadrados do terreno para a construção de casas populares. As negociações foram feitas entre o governo e movimento. E as tratativas estão avançadas.

por Daniel Rezende

*A matéria foi alterada às 11h54 do dia 08/08 para acréscimo de nota do Governo do Estado
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais