Seminário da CUT discute temas para o ato do 1º de maio

0
Seminário Preparatório contou com a presença das centrais sindicais (Fotos: Portal Infonet)

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) realizou nesta sexta-feira, 25, um encontro com as diversas centrais sindicas do Estado. O objetivo foi preparar as lideranças para que multipliquem junto às suas bases os temais centrais que serão levados às ruas no ato do dia 1º de maio.

“Em diversas manifestações, percebemos que as pessoas estavam lá, mas não sabiam ao certo o motivo. Então, este é um seminário preparatório, no qual cada categoria traz a sua pauta e nós elegemos os eixos que serão debatidos. As lideranças sindicais multiplicarão as informações em suas bases, pois queremos que as pessoas compareçam às ruas, mas saibam o que estão fazendo ali”, explica o presidente da CUT, Rubens Marques.

Rubens Marques destaca que as centrais deverão ser multiplicadoras de informações

Em 2014, além das pautas comuns já defendidas pela CUT, as centrais terão como eixos as lutas pela instalação do plebiscito para a reforma política e da Comissão da Verdade em Sergipe. “A composição do Congresso Nacional é desigual e contrária aos trabalhadores, pois o modelo eleitoral é perverso e beneficia aqueles que têm dinheiro. Para você mudar as leis, é preciso ter um congresso progressista e uma mudança nas regras. O plebiscito é para cobrar uma reforma política”, diz.

Ainda de acordo com Rubens Marques, Sergipe é dos poucos estados que ainda não instalou a Comissão de Verdade. “Aqui também teve presos políticos, torturados e aqueles que se beneficiaram com a ditadura. Sem o aval do Estado, a gente não vai conseguir o trabalho que gostaríamos, pois ouvir os torturados já ouvimos. O que queremos é abrir os documentos e arquivos”, afirma.

Mobilização

Entre os diversos pontos defendidos pela CUT estão o fim do fator previdenciário, redução da jornada de trabalho sem o corte nos salários, reforma política, reforma sindical, reforma da comunicação, valorização salarial, plebiscito popular e 50 anos do golpe, dentre outros.

Luta

No dia 1º de maio, a partir das 8h30, as centrais sindicais estarão concentradas na Orla de Atalaia onde promoverão debates, exposições e apresentações de teatro.

Por Verlane Estácio

Comentários