Seminário discute situação de jovens da Coroa do Meio e Atalaia

0

Seminário segue até a noite desta quarta-feira, 27 (Fotos: Portal Infonet)
Discutir e combater o uso de drogas e a exploração sexual do público infanto juvenil nos bairros Coroa do Meio e Atalaia. Com este intuito, o Núcleo de Apoio à Infância e Adolescência (Naia) do Ministério Público de Sergipe (MP) promoveu nesta quarta-feira, 27, o seminário ‘S.O.S Coroa do Meio/Atalaia’. O evento reuniu representante de órgãos públicos e de entidades de defesa da criança e do adolescente.

Segundo a promotora de justiça do MP, Míriam Teresa Cardoso Machado, o encontro foi a oportunidade para que as pessoas reconheçam a situação de muitas crianças e adolescentes de Aracaju.

Mirian Teresa, promotora de justiça do MPE
“O objetivo dessa ação é de articular toda a rede pública de atendimento infanto-juvenil com a comunidade local, para que possamos realizar um efetivo planejamento de políticas públicas nas regiões da Coroa do Meio e da Atalaia”, explica.

Escolha

A promotora esclarece que a escolha dos locais em questão se deu no seminário ‘Vidas Sim, Drogas Não’, realizado em agosto deste ano. “De início, as ações seriam feitas na região sul da capital sergipana, mas depois optamos por atuar nos referidos bairros”, aponta.

Georlize Teles, da delegacia de grupos vulneráveis
Para a delegada de Grupos Vulneráveis, Georlize Teles, o evento tende a fortalecer e alertar a sociedade na questão da exploração infanto-juvenil. “Nos últimos meses, a delegacia fez algumas prisões por exploração sexual de jovens. Eventos como esses são muito importantes, pois além de fortalecer toda a rede de atendimento a esse público, também dá uma retaguarda para nós que trabalhamos diretamente com essa realidade”, acrescenta a delegada.

Representantes

No seminário, estão presentes representantes da saúde do município, do Ministério Público e do Poder Judiciário, do Conselho Municipal de Direitos da Criança e do adolescente, do Conselho Tutelar, Sesi, além de

Elizabete trabalha com moradores de rua
pessoas que já realizam trabalhos com indivíduos envolvidos com drogas e/ou que sofreram  exploração sexual.

É o caso de Elizabete Pacheco, que atua com moradores de rua através da Igreja Católica Jesus dos Navegantes, na Coroa do Meio.

“É péssima a situação dos moradores de rua.  Toda a interação que está havendo hoje colaborará de forma significativa para mudar também esse problema. Tudo deve ser feito com muita caridade e amor”, ressalta Elizabete.

Apresentações

Adolescentes do Grupo Pró-jovem faz apresentação no seminário

Durante o seminário, que acontece até às 22h, acontecem, ainda, algumas apresentações teatrais de crianças e adolescentes do Grupo Pró-Jovem. Na abertura da mesa de discussões, eles representaram a realidade de muitos jovens não só nas regiões de Atalaia e Coroa do Meio, como em toda a cidade.

“Aqui a gente veio mostrar toda essa realidade através da arte para que todos possam entender da melhor maneira possível. Nós contextualizamos de forma sintética a situação de vários jovens que se envolvem com drogas, crimes e outras coisas”, observa Ana Flávia Santos, 17, do Grupo Pró-Jovem. 

Por Victor Hugo e Kátia Susanna

Comentários