Seminário discute soluções para os resíduos sólidos

0

Téia Magalhães, representante do Ministério do Meio Ambiente
A destinação dos resíduos sólidos, ou seja, do lixo produzido no Estado é o tema de um seminário que teve início na manhã deste terça-feira, 29, no auditório da Codise e prossegue até quinta-feira, 31. “O objetivo deste evento é buscar alternativas para o enfrentamento deste problema”, explica Lício Valério, Superintendente de Qualidade Ambiental da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh).

 

Em Sergipe existem 110 lixões, e dentro do seminário deverão ser pensadas alternativas viáveis para extingui-los, a exemplo dos aterros sanitários. No entanto, Lício aponta que esta é uma solução que deve estar atrelada a outras medidas relacionadas ao tratamento dos resíduos, que inclui a intensificação e eficácia da coleta seletiva.

 

Em convênio assinado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) no final do ano passado, 2007, ficou estabelecido a elaboração do Projeto Básico de Resíduos Sólidos, que inclui o Plano de Regionalização da Gestão dos Resíduos Sólidos de Sergipe e ao Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos dos Municípios Sergipanos da Bacia do Rio São Francisco, este último faz parte de um projeto maior de revitalização do São Francisco.

 

Lício Valérios e Genival Nunes (presidente da Adema) na abertura do seminário
Participam do evento, representantes de aproximadamente 30 instituições envolvidas com a questão do meio ambiente e prefeituras municipais. Essas pessoas serão capacitadas para promover o diagnóstico da atual situação do lixo no Estado, quanto é produzido, que tipo e de que forma os resíduos estão sendo descartados.

 

A capacitação será realizada por Téia Magalhães, consultora da Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano, órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA). “Irei ministrar um curso que abordará as leis de consórcios públicos e a do saneamento ambiental, que instituem diretrizes para tratar da questão. Esta será uma primeira abordagem para que os participantes tomem conhecimento das leis e percebam os desafios que temos pela frente”, explica Teia.

 

Um dos desafios apontados por ela diz respeito à atuação dos pequenos municípios. “Estamos propondo que os municípios se agrupem em consórcios para trabalhar em conjunto”, afirma. A meta da Semarh, a partir da realização deste seminário e da elaboração de estudos futuros é achar uma solução para a problemática do lixo no Estado num prazo de 18 meses.

Por Carla Sousa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais