Servidor da PMA é afastado sob suspeita de vazar dados da licitação

0
Justiça autorizou afastamento de servidor (Foto: PF)

A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta segunda-feira, 27, um mandado judicial de afastamento cautelar das funções públicas de um servidor público da Prefeitura de Aracaju, em desdobramento da Operação Serôdio, realizada no início do mês.

Na deflagração da operação foram obtidos indícios de que um servidor da prefeitura, que atuou na elaboração da Dispensa de Licitação nº 28/2020, favoreceu o empresário vencedor com a transmissão de informações sigilosas e com orientações de como a empresa deveria proceder para se esquivar das possíveis irregularidades.

Com base nas informações coletadas, a Polícia Federal representou pelo afastamento do servidor de suas funções públicas, o Ministério Público Federal opinou pelo deferimento da medida e a 1ª Vara Federal determinou o afastamento cautelar do servidor.

A Operação apura supostas irregularidades na Dispensa de Licitação nº 28/2020, realizada pela Prefeitura de Aracaju/SE, com recursos federais, que resultou na contratação da empresa, para a montagem do chamado Hospital de Campanha, destinado ao tratamento de casos de novo coronavírus (Covid-19).

PMA

A Prefeitura de Aracaju informou que recebeu o ofício protocolado pela Polícia Federal na manhã de segunda-feira, 27, e afastou o servidor conforme determinado no documento. A administração municipal disse também que vem fornecendo todas as documentações solicitadas pelos órgãos de controle para que os fatos sejam apurados e esclarecidos amplamente. A PMA ressaltou que os aspectos contraditórios identificados pela Procuradoria Geral do Município já foram questionados e dirigidos ao Poder Judiciário, assim como reiterou o compromisso com a transparência e com o bem público, além de sua disponibilidade para colaborar com órgãos de fiscalização e controle.

Fonte: CS/PF/Sergipe

A matéria foi alterada às 16h22 do dia 28/07 para acréscimo de nota enviada pela PMA.
Comentários