Servidor público diz que foi agredido por policial civil

0
Vítima com medo prefere não mostrar o rosto (Fotos: Portal Infonet)

A Delegacia Plantonista registrou um Boletim de Ocorrência de uma suposta agressão praticada por um policial civil. O fato teria ocorrido em Fátima, município da Bahia. De acordo com as informações prestadas por um servidor público de inicias M.O.L um policial civil, lotado na cidade de Itabaiana, o agrediu de forma gratuita e descontrolada.

A equipe do Portal Infonet conversou com o servidor público. Muito abalado e com medo, o homem preferiu não ser identificado.  De acordo com M. O.L durante o feriado ele estava na companhia de amigos e de um adolescente de 17 anos em uma festa em Ribeira do Pombal. Segundo o servidor público o adolescente ingeriu bastante bebida alcoólica e entrou em contato com o pai, que mora em Aracaju, alegando que foi agredido por M.O.L.

Segundo M.O.L ao saber da informação por parte do filho, o pai do adolescente que é amigo do policial civil se deslocaram para o município Baiano. O servidor público diz que a turma de Aracaju, que teria ido a festa em Ribeira do Pombal, já estava em deslocamento quando encontraram com o pai do adolescente e o policial civil.

Boletim de Ocorrência

“Eles já saíram do carro e começaram a agressão. O policial pegou a pistola e além de me agredir com chutes deu uma coronhada na minha cabeça. As pessoas que presenciaram o fato tentaram socorrer, mas o policial ameaçou a todos com a pistola”, diz o servidor público.

A vítima, diz que não fez nada para que fosse agredido e que tudo que aconteceu foi fruto de uma alucinação do adolescente que ingeriu bastante bebida alcoólica.  Após prestar o Boletim de Ocorrência, o servidor público procurou atendimento hospitalar e foi constatado que ele sofreu politraumatismo.

A equipe do Portal Infonet não divulgou o nome do policial civil porque não conseguimos contato com o mesmo. O caso deverá ser encaminhado a Delegacia de Polícia Interestadual (Polinter). Na terça-feira, 22, o servidor público afirma que irá procurar a corregedoria da Polícia Civil.

Por Kátia Susanna   

Comentários