Servidores da Emdagro denunciam falta de repasse do plano de saúde

0

Centenas de servidores da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) protestaram nesta segunda-feira, 2, contra a falta de repasse financeiro destinado ao Plano de Saúde da categoria.

Gerido pela Associação dos Servidores da Emdagro (Assem), a Emdagro deve um total de 30 parcelas mensais ao plano, uma dívida acumulada em R$ 2 milhões, 352 mil e 816 reais, segundo informações do presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Sergipe (Sinter-SE), Paulo Alves Filho.

“Desde 2018, para evitar a falência dessa assistência, os próprios servidores assumiram financeiramente a contrapartida da Emdagro. Como o ônus ficou pesado, o número de beneficiários vem caindo. De janeiro de 2018 a janeiro deste ano, saíram cerca de 200 beneficiários. Uma situação que vai aos poucos levando o plano à falência”, afirma Paulo Alves.

Fundada em 1960 e vinculada à Secretaria da Agricultura e Desenvolvimento Agrário e da Pesca, a empresa tem aproximadamente 600 funcionários que fazem a assistência técnica e extensão rural entre a pequena família de agricultores e ao agronegócio. “Os funcionários e familiares estão vivendo uma situação de muita dificuldade para arcar com a assistência à saúde e por isso estamos denunciando à sociedade a resistência da presidência da Emdagro em não atender nem mesmo a decisão da Justiça, que a obrigou a fazer o pagamento devido das quotas à Associação dos Servidores da Emdagro (Assem), que gerencia o plano”, afirma Paulo Santos.

Emdagro

Por meio de nota, a Emdagro afirmou ter feito todos os esforços para estabelecer um amplo processo de diálogo com a Associação. A empresa disse também que a Assem judicializou a questão, interrompendo as negociações, que já se encontravam em fase avançada e indicavam para uma solução viável.

A Empresa comentou ainda que percorre os passos indicados pelo processo judicial, não havendo, portanto, descumprimento de decisão. Por fim, a Emdagro disse que penas exerceu o direito de recorrer da liminar dentro dos prazos legais de manifestação e  que aguarda pelo julgamento.

Com informações da Assem

Comentários