Servidores do IML não paralisam

0

Inércia do antigo sindicato prejudicou negociações, diz Antônio Moraes
Inicialmente marcada para a próxima sexta-feira, 25, a paralisação dos servidores do Instituto Médico Legal (IML) não vai acontecer, pelo menos por enquanto. É o que garante o vice-presidente do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da SSP (Sinpol), Antônio Moraes. O Sinpol está, desde a semana passada, representando os interesses desta categoria.

Com explica Antônio Moraes, os servidores do IML têm três reivindicações. “A correção da tabela salarial, principalmente no que diz respeito à remuneração dos agentes técnicos; a avaliação da atual lei orgânica da Coordenadoria-Geral de Perícias (Corgep); e o enquadramento de servidores antigos que hoje estão em desvio de função”, enumera Moraes.

Ainda segundo ele, os servidores ainda não pensam em greve para este momento, o que existe é uma insatisfação geral que o Sinpol já vem tentando resolver. “Já estamos encaminhando ofícios aos setores do Governo do Estado solicitando audiências afim de resolver essas questões da categoria. São medidas que não vão trazer prejuízo ao Estado, mas que trarão segurança a esses servidores”, afirma o vice-presidente do Sinpol.

Nova representação

Para Moraes, o que mais dificultou as negociações entre os servidores do IML e representantes do Governo foi a falta de representação sindical da categoria. Segundo ele, a inércia do Sindicato dos Servidores da Coordenadoria Geral (Sincorgep) resultou numa adesão em massa dos servidores do IML ao Sinpol.

“Como o Sinpol é um sindicato que representa não só os policiais civis, mas também os demais servidores da Secretaria de Segurança Pública, não poderíamos deixar de atender aos interesses dos servidores do IML e, com eles, intermediar as negociações junto ao Governo. As negociações, aliás, não eram feitas porque essa categoria não tinha uma representação eficaz”, explica Moraes.

Comentários