Servidores estaduais cobram plano de carreira

0

Valdir Santos, presidente do Sintrase (Foto: Arquivo Portal Infonet)

“Déda, chegou a hora do servidor da administração geral. Plano de carreira já”. É com este lema que o Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos do Estado de Sergipe – Sintrase – promove uma grande caminhada pela aprovação de um plano de carreira que regulamente funções e salários dos funcionários públicos.

“Todas as outras categorias, como os policiais civis e militares, procuradores, promotores e professores, já têm seu plano de carreira, menos os servidores da administração geral e isso nós não podemos mais aceitar”, afirma Waldir Rodrigues, presidente do Sintrase. A manifestação está prevista para o dia 18 de maio com concentração na Praça da Bandeira, a partir das 8 horas.

Segundo Waldir Rodrigues, a insatisfação reina entre os servidores e não há reajuste que o governo do Estado conceda que possa recompor as perdas acumuladas ao longo dos últimos anos. “A tabela salarial está tão defasada que mesmo que o governador Marcelo Déda dê 100% de aumento, não vai conseguir resolver o problema”, diz. O plano de carreira dos servidores da administração geral foi aprovado em 1977 e, desde que entrou em vigor, várias funções desapareceram e novas foram surgindo. “Na prática é como se ele não existisse”, enfatiza o dirigente sindical.

Para suprir a deficiência de um plano de carreira desatualizado, o governo do Estado concede gratificações aos servidores, mas nem todos recebem o ‘benefício’. Na educação, por exemplo, nove mil servidores ganham apenas o salário mínimo. “Estes não tem futuro e sobrevivem muito mal com o que ganham apesar de estarem a 10, 20 anos no Estado”, argumenta Waldir Rodrigues. Outros 16 mil vivem de gratificação. O problema é que a bonificação não é incorporada ao salário na época da aposentadoria.

Além disso, o funcionário fica refém do governo. “Ele pode cortar ou congelar estas gratificações a qualquer momento e quem vai sair perdendo é o servidor”, diz. Todos estes aspectos foram discutidos com o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Francisco Gualberto, PT. A direção do Sintrase obteve a promessa de que ainda neste mandato o governador Marcelo Déda aprovará o plano de carreira dos servidores da administração geral.

“Mas o funcionário público estadual não quer esperar quatro anos. Quer o plano de carreira já e é por isso que ele irá às ruas para protestar, para exigir respeito”, diz o presidente do Sintrase. Waldir Rodrigues ressalta ainda que desde o primeiro mandato do governador Marcelo Déda o sindicato tenta negociar com ele a aprovação de um plano de carreira para a categoria, mas o governador do Estado se recusa a receber os trabalhadores.

Fonte: Ascom CTB

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais