Servidores são presos acusados de emitir RGs falsos

0

Foram presos seis servidores do Instituto de Identificação de Sergipe, um agente penitenciário, um oficial da PM da reserva e dois autônomos (Foto: Marcelle Cristinne/ASN)

Equipes do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) cumpriram nesta terça-feira, 17, nove mandados de prisões temporárias e mais dez mandados de buscas domiciliares durante a Operação Fênix, cujas investigações duraram seis meses e foi planejada pela Secretaria da Segurança Pública.

O trabalho contou com o apoio da Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci) e Complexo de Operações Especiais da PM (COE) para execução das ordens judiciais.

Foram presos seis servidores do Instituto de Identificação de Sergipe, um agente penitenciário, um oficial da PM da reserva e dois autônomos. São eles: Gilberto Rodrigues de Santana, 69 anos; José Marcelino Pereira Correia, 56 anos; José Raimundo Araújo do Nascimento, 54 anos; Gonçalo Bruno de Farias Rodrigues, 32 anos; Gildásio Góis, 50 anos; Servando Emílio Prado Cabrera, 61 anos; Josenides Rodrigues de Santana, 64 anos e Carlos Henrique Constantino dos Santos, vulgo "Kaká", 51 anos.

A operação foi deflagrada para concluir a investigação que apura um esquema de vendas de RGs, ideologicamente falsos, expedidos pelo próprio Instituto de Identificação de Sergipe.

De acordo com a delegada Mayra Evangelista, que coordenou as investigações, a polícia vinha percebendo um derrame de RGs ideologicamente falsos, apreendidos com criminosos diversos em situações dentro e fora do Estado de Sergipe. Chamou a atenção das equipes de investigação o fato de terem sido expedidos pelo Instituto de Identificação de Sergipe, contendo informações falsas que acobertavam os criminosos por todo o país.

Dentre os crimes revelados com a investigação, além da corrupção ativa e passiva que envolvem as falsificações, foram apurados delitos de uso de documento falso, peculato e estelionatos praticados por pessoas que recorriam à compra de carteiras de identidade ideologicamente falsas para a prática de fraudes, em especial, de benefícios previdenciários.

Outras informações serão repassadas durante o dia pela Polícia Civil.

Fonte: SSP

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais