Sindicato de Empresas de Vigilância descarta greve

0

Vigilantes lutam por 30% de periculosidade (Foto: Arquivo Portal Infonet)

O presidente do Sindicato das Empresas de Vigilância de Sergipe, Marcos Aurélio Pinheiro, descartou qualquer paralisação dos vigilantes. Ele acredita que a categoria está sendo prejudicada por conta da desorganização no sindicato em que há mais de um presidente.

“Eu garanto que não vai ter greve. O que existe são três facções dentro do sindicato, que vêm atrapalhando as negociações. Para se ter uma ideia, os vigilantes já perderam a data-base que é em fevereiro por conta dessa briga interna e até agora não receberam os 30% como determina a Lei 2.140, por causa de um grupo que invadiu o sindicato à noite e está lá aquartelada", ressalta Marcos Pinheiro.

Os vigilantes de empresas públicas e privadas anunciaram uma paralisação para esta sexta-feira, 10 alegando “falta de negociações com a classe patronal”.

A reportagem do Portal Infonet tentou por diversas vezes ouvir por telefone, o representante do Sindicato dos Vigilantes, Reginaldo Gonçalves, mas não obteve êxito. O Portal continua a disposição pelo número 2106-8000 ou pelo e-mail: jornalismo@infonet.com.br.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais