Sindiprev quer adiar reabertura do INSS prevista para dia 3 de agosto

0
Portaria determinou INSS retome atividades presenciais no dia 3 de agosto (Foto: arquivo/ Portal Infonet)

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho e Previdência Social do Estado de Sergipe (Sindiprev) quer adiar a reabertura das agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em Sergipe.

A portaria n° 27, publicada no Diário Oficial da União na última terça-feira, 7, estabeleceu que os atendimentos dos segurados e beneficiários do INSS seguem até dia 31 de junho por meio dos canais de atendimentos remotos.

No entanto, a mesma portaria estabelece também que o retorno gradual e seguro do atendimento presencial nas agências do INSS será no dia 3 de agosto, o que desagradou a categoria, visto que os números da Covid-19 continuam crescendo em todo o país.

“Há uma a luta incessante do Sindiprev Sergipe e demais entidades estaduais e nacionais, na defesa da vida e preservação da segurança sanitária dos servidores e segurados do INSS. Já participamos de diversas reuniões com o Presidente do INSS e superintendente, na afirmativa de que não devemos reabrir o INSS com o aumento do pico da Covid em todo Brasil. Continuaremos incansáveis na organização, mobilização e ações que defendam os nossos argumentos e vida”.

INSS

A Assessoria de Comunicação do INSS em Sergipe explicou que o órgão vai cumprir a portaria e retomar os atendimentos presenciais, porém conforme agendamento que deverá ser feito via site ou o telefone 135.

Ainda segundo a assessoria, o INSS está tomando todas as medidas necessárias para que os servidores retomam os trabalhos de maneira segura, como o fornecimento de EPIs, separação de cadeiras, marcação para filas, instalações de acrílicos de proteção, entre outras adequações nas agências.

Os servidores que fazem parte do grupo de risco, conforme a assessoria, continuarão afastados, e as agências funcionarão com efetivo mínimo para evitar aglomerações. No caso de Itabaiana, por exemplo, onde todos os servidores fazem parte do grupo de risco, as agências não retomarão as atividades.

A assessoria disse também que todas as ações estão sendo realizadas com base em orientações do Ministério da Saúde e que a retomadas das atividades acontecerá de maneira gradual e segura.

Por Verlane Estácio

 

Comentários