Sinpol impede atendimento no Instituto de Identificação

0
Sinpol impede abertura de portões (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

O atendimento ao público no Instituto de Identificação foi suspenso completamente nesta segunda-feira, 10, em decorrência da greve dos agentes da polícia civil. Os manifestantes entram no oitavo dia de greve com concentração na porta do instituto, impedindo a abertura dos portões.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Sergipe (Sinpol), João Alexandre Fernandes, explica que o final da greve não está atrelado ao pagamento da segunda parcela dos salários da categoria. “Nossa pauta de reivindicação vai além disso. A falta de pagamento de salário foi ocasional e, por ser ocasional, integrou a nossa pauta”, informou o sindicalista.

E, como consequência da falta de negociação com o Governo, os grevistas decidiram restringir ainda mais o atendimento nas unidades policiais. Nas unidades, segundo o presidente, o atendimento está restrito a situação de emergência, a exemplo de recolhimento e liberação de corpos e os flagrantes. Na semana passada, no Instituto de Identificação, o atendimento ao público estava moroso, mas fluía. No entanto, a partir desta segunda-feira, 10, o atendimento foi completamente suspenso. “Os 30% do efetivo estão trabalhando só administrativamente”, informou o presidente do sindicato.

Marlene: "O governo engana eles e eles enganam a gente"

As reivindicações dos agentes se restringem à implantação do subsídio, modalidade de remuneração dos servidores públicos que prevê a incorporação de todas as gratificações, implantação efetiva do Plano de Cargo, Carreira e Vencimentos (PCCV) para os servidores da perícia e definição de um percentual linear para recuperação das perdas inflacionárias, acumuladas em torno de 20%, desde o ano de 2008, segundo estimativa do Sinpol.

Reclamação

A população formou filas e reclamou da falta de atendimento ao público, considerando descaso dos grevistas em não prestar informações antecipadas sobre a suspensão dos serviços. “Ninguém informou nada pra gente. Já tive aqui duas vezes e não consigo”, reagiu a aposentada Marlene Nascimento Costa, 59, que está tentando retirar a segunda via da carteira de identidade há algumas semanas. “Hoje, cheguei às quatro horas da manhã. Às cinco horas, eles [os grevistas] disseram que só iam distribuir 60 senhas, mas depois disseram que não ia atender mais ninguém. Isso é uma falta de respeito. Por que eles não disseram isso antes. Só vieram dizer duas horas depois que a agente tá aqui na fila?”, reclamou a aposentada.

João Alexandre: paula além do pgamento de salários

A aposentada diz que a população até poderia compreender a mobilização dos manifestantes, desde que houvesse transparência. “O Governo enganou eles e eles agora enganam a gente. Tá certo isso? Se eles fossem conscientes, não enganariam a gente”, analisa. O vigilante Rodrigo Santos, 26, que tenta a emissão da segunda via da carteira de identidade, também reclamou a falta de informação. “Não avisaram nada pra gente que não ia ter atendimento hoje. Se eles reivindicam direitos, nós também temos direito ao atendimento. O certo era (sic) eles atenderem 30% da população”, reclamou.

A assessoria de imprensa informou que o atendimento realmente ficou prejudicado nesta segunda-feira, 10, mas que a partir da terça-feira, 11, o objetivo é mobilizar servidores para disponibilizar senhas e atender a pelo menos 130 pessoas.

*A matéria foi atualizada às 09h54 para acréscimo de informações enviadas pela assessoria da SSP

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais