Sinpol orienta pelo fim da greve dos policiais

0
Agentes retornarão ao trabalho ainda hoje (Foto: Cássia Santana/Arquivo Portal Infonet)

Os agentes da polícia civil devem retornar às atividades imediatamente, independente de notificação para cumprimento de decisão judicial pelo fim da greve iniciada oficialmente no sábado, 25. O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe, Antonio Moraes, informou que tomou conhecimento da decisão do pleno do Tribunal de Justiça de Sergipe por meio do site oficial daquela corte e já está orientando a categoria a retornar às atividades normais ainda nesta quinta-feira, 29. “Eu é que vou procurar o oficial de justiça para assinar logo esta notificação”, garante Moraes.

O sindicalista entende que a decisão judicial pelo retorno imediato ao trabalho não se traduz ilegalidade do movimento grevista. “São duas coisas a se analisar. As greves não foram declaradas ilegais. Há um processo judicial em curso, o mérito, o fim do processo, é que vai julgar se a greve será ilegal ou não”, observa o sindicalista.

Moraes observa ainda que o pleno do TJ, além de se manifestar pelo retorno imediato da greve retira a multa aplicada anteriormente, no valor de R$ 1 mil diariamente, por descumprimento de sentença. “Se a multa foi retirada, é porque não o tribunal entende que não houve greve”, enaltece. “Permitiu, excepcionalmente, que a PGE [Procuradoria Geral do Estado], nesta mesma ação, formulasse pedido pela suspensão da greve deflagrada no dia 21”, observou o sindicalista.

O Sinpol está convocando os agentes para uma assembleia geral a ser realizada na noite desta quinta-feira, 29, a partir das 19h em local ainda a ser definido. “Há forte indicação de início de uma operação padrão, que é mais importante do que a greve”, observa o presidente do Sinpol.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais