Sintese acusa Seed de pressionar professores para assinar aulas não dadas

0

Carlos Sério e Roberto Silva, do Sintese
O Sindicato de Trabalhadores da Educação Estadual (Sintese) se dirigiu hoje, 20, ao Ministério Público para denunciar as pressões da Secretaria do Estado da Educação (Seed) contra os professores. Ontem, 19, alguns docentes foram ao sindicato para denunciar que a Seed estaria pressionando-os a assinar diários escolares da matéria de educação física, que não é competência dos pedagogos.

Segundo os professores, os representantes da secretaria ameaçaram atrasar salários, férias, e até processos de aposentadoria, caso não fizessem o exigido. O caso se arrasta desde o meio do ano, quando a Secretaria retirou os professores de educação física da 1º a 4º série para reposicioná-los em séries mais avançadas. No entanto, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação manda que todas as séries tenham em seu currículo aulas de educação física.

Para não chamar novos professores concursados, a Seed baixou uma portaria em junho desse ano, que coloca os professores polivalentes (pedagogos) no lugar dos professores de educação física. “As competências são diferentes. Os professores não têm as especificidades dos educadores físicos”, comentou Carlos Sérgio, vice-presidente do Sintese.

Alguns professores se recusaram a cumprir a portaria, e quase 60 mil alunos ficaram sem aulas de educação física no segundo semestre. Agora, com a necessidade de se fecharem as cadernetas para conferir as notas finais dos alunos, a Seed se deparou com o problema. As aulas de educação física não haviam sido realizadas, nem suas avaliações.

Renuião com o promotor Alexsandro Sampaio
Há duas semanas, representantes da Secretaria estão visitando as escolas e passando a orientação de que os professores assinem os diários de classe. “Nós não vamos inventar aulas e notas. É isso que eles querem que façamos”, disse Roberto Silva Santos, diretor de Comunicação do Sintese. O sindicato quer que a Secretaria consulte os representantes dos professores de educação física para se chegar a uma solução.

O promotor Alexsandro Sampaio recebeu hoje pela manhã os membros do Sintese e ouviu a denúncia. Segundo eles, o próximo passo é formalizar os documentos, para o MP requerer explicações do ógão do Estado.

PROID

O caso do Programa de Inclusão Digital, que financiava computadores para os professores da rede pública, será visto em janeiro pelo MP. Já está marcada uma audiência para o dia 19, ás 10h, com a presença de representantes do Banese, Seed, Sintese, e as empresas de equipamento responsáveis pelos repasses.

 


 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais