Sintra denuncia excesso de carga horária de motoristas

0
Ônibus da VCA apreendidos: início da crise (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Aracaju (Sintra) denuncia excesso de carga horária de motoristas e cobradores da Viação Modelo, empresa que explora o sistema de transporte coletivo de Aracaju. Segundo informações do presidente do Sintra, Miguel Belarmino da Paixão, os funcionários estariam dobrando a carga horária, sem ter descanso, o que contraria a legislação trabalhista.

O presidente do Sintra observa ainda que a Viação Modelo estaria desrespeitando acordo firmado no Ministério Público Estadual (MPE) ao deixar de absorver os 100 cobradores e motoristas demitidos da VCA em função da crise instalada naquela empresa. No acordo no MPE, conforme observa o sindicalistas, a Viação Modelo e a Tropical absorveriam as linhas e também os funcionários remanescentes da VCA. Com a Tropical, segundo o presidente do Sintra, não ocorreram problemas.

O outro lado

O gerente operacional da Viação Modelo, Hector Raul Coronado, reconhece as dificuldades, diz que houve necessidade de aumentar a carga horária de motoristas e cobradores para garantir a operacionalidade do sistema e revela que não há desrespeito ao acordo firmado com o Ministério Público Estadual. Ele garante que a morosidade para fazer a migração do pessoal foi provocada pela ausência de relação de motoristas e cobradores que deveria ter sido enviada pela VCA. “A relação só chegou na segunda-feira”, diz.

Conforme observa o gerente operacional, a Viação Modelo começou o processo de contratação dos funcionários remanescentes da VCA antes mesmo de receber a relações dos trabalhadores desvinculados e até o momento 28 deles já foram absorvidos, obedecendo todos os critérios determinados no acordo.

Segundo o gerente operacional, na segunda-feira, 22, a VCA encaminhou relação de 75 outros funcionários, mas a empresa só pretende preencher o quadro com o número de funcionários estabelecidos no acordo com o MPE: 100, entre os quais 50 cobradores e 50 motoristas. “Não podemos contratar em excesso”, observa.

Ele diz que os procedimentos já estão em andamento e à medida que os exames adicionais e outras medidas que estão destacadas no acordo com o MPE.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais