Sistema de transporte em Aracaju deve melhorar

0

Aracju terá de enfrentar alguns desafios parar manter um sistema adequado (Foto: Arquivo Infonet)
Discutir soluções para a melhoria no sistema de transporte de Aracaju, bem como garantir adequadas possibilidades para a mobilidade urbana, demanda ações que interferem diretamente no desenvolvimento urbano da cidade. Mas quais os próximos desafios que Aracaju terá de enfrentar para manter um sistema de transporte e trânsito equilibrado?

De acordo com dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), até abril deste ano, Aracaju foi a oitava capital nordestina com veículos em circulação, somando uma frota de 193397 automóveis espalhados pela cidade. Já em agosto, este número aumentou para 199484.

Medidas

Há algum tempo, o vereador Ivaldo José (PDT) vem atuando na Câmara de Vereadores em busca de medidas efetivas para o desenvolvimento do transporte e condições de circulação de pedestres em Aracaju. Segundo ele, não adianta pensar em alternativas para melhorar o transporte no Estado de forma paliativa, sem levar em consideração um projeto macro de mobilidade urbana.

Para o vereador Ivaldo José deve um projeto macro de mobilidade urbana (Foto: Portal Infonet)
“Em primeiro lugar, é interessante que se construam corredores para o transporte coletivo, formando um cinturão pela cidade. Além disso, é necessário que façam passarelas para pedestres, em pontos onde há estrangulamentos do fluxo de veículos, como na região que dá acesso aos shoppings, na Tancredo Neves, no São Conrado, dentre outros”, aponta Ivaldo.

Ele diz que a retirada dos trilhos que seguem pela avenida Augusto Franco, seria outros procedimento que ajudaria consideravelmente na possibilidade de cruzamento da avenida, dando acesso às duas faixas. “A construção de novos viadutos, diminuiria o tempo dos engarrafamentos pela cidade”, ressalta o vereador.

Transporte Público

Em entrevista ao Portal Infonet para a matéria ‘O Transporte público de Sergipe está adequado?’, o

A construção de mais viadutos poderá diminuir congestionamentos (Foto: Alejandro Zambrana)
diretor de transporte da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), Orlando Sérgio afirmou que os ônibus do sistema de transporte urbano da capital sergipana estão adequados para circulação a nível nacional.

Ele conta que ao todo, Aracaju e suas regiões metropolitanas comportam um total de 508 ônibus em circulação. Com os 14 veículos que a Prefeitura de Aracaju adquiriu, a frota será renovada e somará 170 ônibus já adaptados para pessoas com deficiência.

VLT

Dentre as inúmeras alternativas para desafogar a situação caótica dos engarrafamentos no trânsito, o Veículo Leve sobre Trilho (VLT), ou Metrô leve, já está

Alagoas teve o 1º VLT urbano da América do Sul (Foto: Mirella Costa)
se transformando em uma tendência mundial. Em estados como São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Ceará e Alagoas, o veículo já é uma realidade para os usuários do transporte.

Em Maceió (AL), a primeira composição (ou vagão) do VLT chegou à cidade no último dia 13 de dezembro, e se constitui como o primeiro VLT urbano da América do Sul. De acordo com o assessor de Comunicação da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) em Maceió, Razuco Pacheco dos Reis, o transporte diminui consideravelmente o tempo de viagem.

“A VLT daqui, por exemplo, possui uma composição com três carros ou vagões com capacidade para 500 passageiros. A previsão é que ainda cheguem mais oito composições para transportarmos em média 40 mil passageiros. Até agora teremos em média 15 viagens por dia”, explica o assessor.

Orlando Sérgio, diretor de transportes da SMTT
Ele conta que além da redução do tempo de viagem, o valor do transporte também é bom para o bolso dos usuários. “Uma passagem no VLT custa R$0,50, sendo 75% mais barato do que a tarifa do transporte rodoviário aqui em Maceió. Como muitas regiões daqui são carentes de transporte, o VLT será uma ótima opção para a população”, diz Razuco.

Código de Mobilidade Urbana

O vereador Ivaldo José diz que está reivindicando para o Plano Diretor, a criação do Código de Mobilidade Urbana para a capital sergipana. Segundo Ivaldo, a iniciativa tende a inserir emendas que garantam os primeiros passos para construção de passarelas pela cidade.

“O código trará normas para nortear a utilização de vias públicas de Aracaju, bem como medidas que delimitem o tamanho dos veículos para ultrapassar em certos locais, por exemplo. Esta ação trará novas exigências que obrigarão o poder público a promover o desenvolvimento urbano neste setor”, esclarece o vereador.

Ivaldo afirma que com todas essas medidas, o próprio pedestre evoluirá sua conduta nas vias públicas. “Sem contar, que quem desrespeitar o código estará sujeito à notificações, punições e multas”, lembra.

Por Victor Hugo

*Esta reportagem faz parte da série especial sobre os desafios da capital sergipana para a próxima década. As reportagens sobre o tema serão publicadas ao longo desta semana. Você também pode opinar através dos comentários.

Outros desafios
Saúde: Falta retaguarda e pacientes lotam Huse

Comentários